quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Nada se cria | 37

Links para esta postagem
A idéia compartilhada de hoje não é lá tão original, mas com o que já saiu de peça parecida por aí nos obriga a jogar aqui, no Nada se cria. Pelo menos dessa vez não estamos falando apenas de um segmento.

Renault
Agência: Publicis Roma

Sony
Agência: Assyria

Sony
Agencia: LOWE&PARTNERS/SMS

Natan
Agência: F/NAZCA SAATCHI&SAATCHI

McDonald's
Agência: DDB

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Big Brother do Brasil

Links para esta postagem
Se tem um assunto que dá pano pra manga é o badaladíssimo Big Brother Brasil, e não é pra menos, você já tentou se recordar de outro fenômeno televisivo parecido nos últimos anos? Mas não vou ser mais um a dizer que é uma vergonha um país parar na terça-feira após a novela das oito para ver quem será eliminado dessa vez. Não, a proposta por aqui é outra, vamos falar do lado bom do tal BBB, e acredite, existem muitos bons motivos para acompanhar o "show da realidade".

Quem aqui estuda ou já estudou numa faculdade de propaganda deve ter ouvido em algum momento: "Assista coisas ruins, veja péssimos filmes, preste atenção na seção de documentários fora de cartaz". Não consigo ver nada mais benéfico que isso para se construir uma opinião.

O Big Brother é um maravilhoso exemplo do que também deve ser assistido por quem faz marketing. Nós publicitários cansamos de dizer e ouvir que somos alheios aos efeitos corrosivos da mídia, por isso não gosto quando vejo um colega dizendo que o Big Brother é uma lixo, que não tem cultura, que no horário nobre não deveria aparecer tanta bobagem e por aí vai. Mas é claro que não! O BB é uma máquina de fazer dinheiro, tudo bem que a chave do sucesso depende de telespectadores que não estão nem aí se aquilo é ou deixa de ser cultural. Mas temos que ver que é uma forma de branded entertainment feito como jamais havíamos visto no Brasil.

Você deve estar perguntando aonde eu quero chegar, ou qual é a minha. Eu explico: Acho que o estágio que o programa chegou deve ser uma fonte de estudo aos profissionais de comunicação do país. Os merchandisings são impecáveis, a edição, trabalho de montagem dos cenários, a novela da vida real, o pós-paredão, Vídeo-Show, TV Fama, enfim, o produto pode ser consumido de incontáveis formas. Lembro bem da ação da Henkel para o Super Bonder, onde os participantes ficaram literalmente colados de cabeça para baixo em uma das provas. Há até quem diga que o Big Brother veio para salvar a publicidade, já que aquele novo vt de 30 segundos fantástico está no You Tube antes mesmo de ir ao ar.

Nossa função vai além de simplesmente sentar na cadeira e criar um jingle legalzinho, é muito mais que isso, é ver um padrão de nova comunicação se escancarar todos os dias em horário nobre e extrair dali idéias para o seu cotidiano de agência. Um cara tipicamente fardado de publicitário deve entender melhor que todo mundo esse processo. Você já pensou que a idéia do programa poderia ter sido sua? Por que não? É difícil estar na vanguarda das coisas, eu sei, mas entender como acontecer deve ser no mínimo, uma obrigação.

Pense nisso de verdade, reflita sobre o processo em que estamos vivendo, por que um besteirol desses prende tanto as pessoas? Os programas de auditório tiveram sua época, os reality shows estão tendo a dele, e amanhã? E como a propaganda vai se adaptar ao novo modelo? Tudo não passa de uma simples e delicada questão de oportunidade, a FIAT quem o diga. Para se ter uma idéia, todos os pacotes de patrocínio sequer são oferecidos ao mercado, já que em todas as edições do programa os anunciantes fazem questão de renovar. Acho que depois disso, não preciso dizer mais nada.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

A maior campanha da história da TAM

Links para esta postagem
Estreou na última sexta-feira (22) a nova campanha de reposicionamento da TAM, e diga-se de passagem, estamos falando da maior campanha publicitária da história da empresa. Muito bem, eu escolhi esse tema hoje para abordar alguns pontos que valem a pena ser analisados por quem vê tudo do lado de fora, ou seja, sem se envolver demais a ponto de perder os olhos de mero expectador.

Antes de mais nada, já estava ficando impaciente com essa resposta da TAM sobre a belíssima campanha da GOL, que usou crianças de sete anos para representar todo o crescimento da compania aérea nos últimos anos. Mas o resultado está aí, modelado num excelente trabalho de reposicionamento que durou exatos 18 meses. O logotipo, desenvolvido pela Thymus, de Ricardo Guimarães, ganhou linhas mais modernas, sem perder a originalidade, além de ficar mais leve mantendo o mesmo poder de fixação. Resumindo, eu gostei, e gostei muito do que vi. A idéia das pessoas assinando na fuselagem do avião é fantástica, cria inúmeras maneiras de se imaginar o que representa a TAM na vida das pessoas.

Coloquei no fim desse post algumas peças impressas da campanha "Compromisso", quem assina é a sempre criativa Young & Rubicam.

Outro ponto considerável, é um fator que eu já percebia há algum tempo na TAM. Lembro muito bem como havia um tratamento diferenciado da empresa sobre os concerrentes, tudo muito organizado, cadeiras extremamente limpas, um tapete vermelho que fazia sentido, etc, etc, etc. Hoje, não passa de mais uma prestadora de serviço que perdeu aquela mágica em servir da melhor forma possível seus clientes - o tal Espírito de servir. Acredito que deve-se muito a ausência do comandante Rolim Amaro, que publicamente fazia questão de manter todos os detalhes impecavelmente em ordem.

O case da TAM é um belo exemplo a se seguir, de como era e como é hoje. Recomendo a quem se interessar, que estude um pouco mais a fundo, certamente valerá algumas boas conclusões. Mas a questão relevante aqui é aguardar e perceber se o novo esforço de marketing e comunicação vai surtir o efeito esperado. Espero sinceramente que sim.




sábado, 23 de fevereiro de 2008

Mais polêmico do que criativo | 9

Links para esta postagem
Pois bem, chegamos hoje a 300ª postagem em exatos dois anos de vida desse singelo sanatório. Mas não quero passar dessa simples lembrança para ir logo ao assunto de hoje: propaganda polêmica, que por sinal, fez sucesso por aqui no ano passado, é a já conhecida seção que carinhosamente chamamos de "Mais polêmico do que criativo".

E para os que ainda não conhecem, é onde discutimos peças e campanhas publicitárias que chamaram a atenção da mídia, mas não pela criatividade ou originalidade, e sim pelo efeito polêmico causado nas pessoas.

Um ponto sempre debatido por mim e os leitores é até onde isso é benéfico para a marca - têm sempre os que defendem a idéia que por mais ruído que uma ação de comunicação gere, ela traz benefícios a longo e médio prazo ao anunciante em questão.

Como sugere os filmes do canal Futura, você pode pensar muitas coisas, a única coisa que você não pode fazer é não pensar. Então, aí vai mais uma que saiu criando blá-blá-blá entre conservadores e liberais mundo a fora.

A grife italiana Armani anunciou no ano passado essa propaganda impressa para sua linha infantil, a Armani Junior. O anúncio trazia uma imagem de duas meninas bem maquiadas e trajando as roupas da coleção. Mas o grande problema é que os criativos da campanha não se atentaram a um ponto muito sério que ficou bem evidente no impresso: o turismo sexual de menores.

Nem preciso lembrar o representa a prostituição infantil na Europa, e francamente, usar um apelo tão próximo de toda essa rejeição é uma tremenda falta de conceito.

Até o respeitável jornal El País comentou o fato em seu diário on-line (clique aqui para ler a matéria), citando outras campanhas que causaram polêmica semelhante, como a Dolce&Cabana.

No Brasil, felizmente a moda ainda não pegou, mas não duvido nada que essa praga chegue por aqui num futuro não muito distante. Gosto sempre de frisar minha posição nesses casos, e como sempre digo, prefiro ficar do lado mais conservador da história.

Fonte: Novo Marketing

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Mania de elevador

Links para esta postagem
Como estava em recesso nesse final de ano, deixei de postar aqui algumas curiosidades que vi enquanto viajava nos reclames com o controle remoto na mão. Uma dessas curiosidades certamente já deve ter acontecido com você também.

Há algum tempo veiculava no intervalo do futebol da Globo dois comerciais incrivelmente parecidos, e o fato de estarem na sequência um do outro criou um efeito engraçado. Nos dois casos a cena acontece num elevador, e como se não bastasse, ambos apelos são muito parecidos. Vou colocar as peças da forma como foi veiculado.


Skol
Agência: F/Nazca


Itaú
Agência: DM9DDB

Posso dizer que ficou no mínimo engraçado, passou uma leve sensação de deja-vu. Se fosse para opinar a respeito, diria que não vejo muita vantagem nisso, acho até negativo, mas já ouvi pessoas falando que é bom para fixar a marca. É a velha polêmica de sempre.

Bom, sei que depois disso tentei lembrar de alguma propagandas em elevadores, e a primeira que me veio a cabeça é o memorável filme da sukita, do famoso "tio, aperta o 20". Todo mundo lembra? Também está na sequência, assim como outras que pesquisei por aí, vale a pena relembrar.


Sukita


Olimpikus


Globo.com


Classificados Folha


Hopi Hari


Playcenter


Governo de Pernambuco


Teaser - Muito superior


Rádio 89 FM


MTV


Wonderbra

E também tem esse da Elma Chips (clique aqui para assistir).

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Nada se cria | 36

Links para esta postagem
E para de fato, iniciarmos o ano, aí vai o primeiro Nada se cria de 2008. A idéia é basicamente transmitir a multifuncionalidade de um automóvel, o problema é que as agências não foram lá muito originais para cumprir a missão. O resultado beira a bizarrice.


Nissan
Agência: TBWA BARCELONA


Volvo
Agência:
EURO RSCG PARTNERSHIP HK


Jeep
Agência: FCB WORLDWIDE


Mercedes-Benz
Agência: DENTSU

Cara nova

Links para esta postagem
O bom de se ter um blog como este, é que se pode fazer muitas coisas com ele. Por exemplo, já fazia algum tempo que queria mudar a cara desse pequeno sanatório, mas obviamente, buscava um bom motivo para tal. Então nada melhor que fazê-lo no mês do seu segundo aniversário. E depois de merecidas férias, aviso aos amigos visitantes que estamos de volta, de layout (ou leiaute) novo, algo bem inerente a um ser habitualmente chamado de publicitário.

Sugestões de post continuam sendo muito bem vindas na minha caixa de e-mail.