sexta-feira, 30 de maio de 2008

Nada se cria | 47

Links para esta postagem
Duas peças simpáticas, só que infelizmente, uma delas não foi suficientemente criativa. Daí o único comentário que posso tecer é: Será mesmo que foi uma cópia descarada e inconsequente?

Hochriegl
Agência: Demner, Merlicek & Bergmann
País: Áustria


Foxy Wine House
Agência: Euro RSCG Helsinki
País: Finlândia

domingo, 25 de maio de 2008

Mais polêmico do que criativo | 12

Links para esta postagem
Alguns já conhecem bem a fama dos anúncios Tom Ford, outros, logo que passam a conhecer logo tomam um partido, amando ou odiando os fortes apelos que a marca usa para atingir seus objetivos. Eu não sou exceção, e como já admiti aqui em outras oportunidades, sou radicalmente contra idéias que estravasam alguns pudores - vale lembrar que sou um defensor do aspecto pessoal do corpo, evitando que apareça como um simples objeto sexual.

No anúncio em questão, a marca de roupas e perfumes saiu com sua nova polêmica em forma de anúncio, ou vice-versa. Para vender sua linha de roupas masculinas, a idéia do anúncio é que a mulher agrida um homem em suas partes baixas, como se diz na minha terra.

O curioso é que o fotógrafo Terry Richardson também é conhecido por seus cliques prá lá de polêmicos, o resultado não podia ser muito diferente mesmo.

A seguir coloquei outros dois anúncios da marca da campanha anterior. Neles, as idéias igualmente polêmicas tentam chamar a atenção para um perfume da marca. Se é bom ou ruim? Isso é difícil falar da arquibancada, só posso dizer que isso é Tom Ford, e público existe pra tudo.


















.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Propagandas que embalaram minha infância - Poupança Bamerindus

Links para esta postagem
Hoje, sexta-feira, 23 de maio de 2008 às 19h. (horário de Cuiabá) e ao invés de estar na tradicional "hora feliz" sagrada, estou aqui para inaugurar mais uma seção no Louco não, publicitário. A partir de hoje, com a mesma periodicidade da seção "Mais polêmico do que criativo", ou seja, a cada 20 dias se não acontecer nenhum acidente de percurso, publicarei aqui um comercial que marcou minha infância.

Como nasci em 1981, vivenciei campanhas memoráries, que se impregnaram em temas de bate-papo de botequim, assuntos de taxistas e inevitavelmente ditaram tendências e comportamentos nesse Brasilzão a fora. Assim como eu, sei que muitos aqui também se apaixonaram logo cedo pelos inesquecíveis intervalos comerciais que fizeram história. Dessa forma, resolvi de uma vez por todas relembrar de vez em quando algumas dessas jóias que eternizaremos na memória.

Lembrando que sugestões e pedidas são sempre muito bem vindas, o único critério que vou adotar é que o comercial tenha feito um considerável sucesso, ou seja, nada de pedir que eu publique o vt do açougue do seu João que veiculou na sua cidade em 1991, esquece!

E para começar a categoria com o pé direito, aí vão alguns filmes do memorável jingle do Banco Bamerindus que até hoje alguns rescuscitam em momentos de nostagia: "O tempo passa, o tempo voa, e a poupança Bamerindus continua numa boa, é a poupança Bamerindus".

Como o site Almanaque da Comunicação bem publicou: "O produto não existe mais, era a poupança Bamerindus, o banco adquirido em meados da década de 90 pelo HSBC, mas o “recall” deste clássico da propaganda brasileira é extraordinário e tende a sobreviver por muitos anos."

Quem criou a campanha na época foi a agência Colucci, mais precisamente o publicitário Fernando Rodrigues, que atualmente é Diretor de Criação da DPZ. Segundo a fonte deste post, o jingle fora criado originalmente para o banco em inícios da década de 70, com letra de Teresa Souza e música de Walter Santos - resgatado 20 anos depois para a magnífica interpretação do grupo “Os três do Rio”, cuja versatilidade musical despontava a olhos vistos.

Uma curiosidade destacada por Andrés Bukowinski, diretor dos comerciais, são os sotaques presentes em algumas versões (exemplo dos suíços e nordestinos) que deformavam a fonêtica do anunciante sem que isso incomodasse o cliente. A expressão “Bamerindiu”, por exemplo.










Fonte: Almanaque da Comunicação

terça-feira, 20 de maio de 2008

O código do Audi

Links para esta postagem
Isso deve acontecer com você também, ver um anúncio e admirá-lo pela simplicidade impecavelmente bem trabalhada. Imaginar que cada detalhe da peça foi cuidadosamente retocada, aliando conceito a um belo trabalho de arte.

Quando vi esse impresso tive essa boa sensação, e então resolvi jogá-lo aqui, em nosso singelo sanatório. Na assinatura lê-se: "Audi Q7 with Advanced plus package. A masterpiece with much more" - Audi Q7 com pacote mais avançado. Uma obra-prima com muito mais.

Outro ponto que quero ressaltar é sobre o autoria do anúncio, que é a agência DDB Milan, da Itália. Não me lembro de nenhuma outra peça dessa agência postada aqui, mas como costumo comentar com amigos e colegas da área, cada agência desenvolve instintivamente uma característica, um estilo. Têm aquelas que não admitem esse carimbo, mas não acredito que isso seja tão ruim assim.

Para ser bem sincero ainda, até gosto quando um trabalho vem marcado com o estilo de uma agência - óbvio que sem exageros. De qualquer forma, vou prestar mais atenção nos trabalhos da DDB e tentar enxergar mais vezes isso, não deixa de ser um ótimo e estimulante exercício crítico.

domingo, 18 de maio de 2008

Nada se cria | 46

Links para esta postagem

Navegando no sempre interessante Ads of the world topei de cara com essa peça que alerta as mulheres grávidas dos perigos de fumar durante a gestação. Como pode-se ver claramente no anúncio, o apelo é forte e a mensagem é muito bem transmitida. O problema é que na hora me lembrei de um post publicado aqui em maio de 2006 (confira). Então a minha única saída foi condenar mais essa idéia ao nosso eterno hall das coincidências duvidosas. Em outras palavras, vai para o Nada se cria!

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Procura-se comercial das antigas

Links para esta postagem
Entenderei se alguns disserem que meu comentário de hoje não tem nada a ver com nada, mas eu posso explicar. Há muito tempo quero falar aqui de algum comercial que marcou minha infância, um que realmente tenha feito eu algum dia parar e pensar: Caramba, esse negócio de publicidade é foda mesmo.

Então procurei postar um simpático filme das antigas que corresponde perfeitamente a essas conclusões. Estou falando de um filme daquela marca de salgadinhos Fandangos, mais especificamente de um garotinho no recreio da escola que reclama de muitas coisas que ele não pôde escolher, como seu nome, seu corte de cabelo e até sua cueca. Quem é do início dos anos 80 e teve uma infância parecida com a minha sabe do que eu estou falando. (Escolheram meu nome, Haroldo...)

Pois bem, procurei esse filme até os limites do Google e não encontrei absolutamente nada, mas como gostaria muito de publicá-lo aqui, peço a algum leitor que souber do paradeiro dessa singela jóia da nossa publicidade, que me envie por e-mail.

Enquanto isso, resta-me falar hoje sobre um site muito legal que publica artes de vários designers que reproduzem anúncios de marcas atuais com aqueles layouts (ou leiautes) de antigamente. O resultando é muito interessante, como esse do Playstation a seguir. Resumindo, vale a pena conferir: www.worth1000.com

domingo, 11 de maio de 2008

Jeep: Semáforo

Links para esta postagem
Os anúncios off-road têm um lugar mais do que especial nesse singelo sanatório, e esse impresso da Jeep jamais poderia deixar de ser publicado por aqui.
.
Pra ser bem sincero, quando uma simples foto vende todo um conceito extremamente forte, me faz pensar como a marca soube se posicionar na cabeça das pessoas.
.
Nesse caso ao lado, os pássaros representam as cores de um semáforo - tudo bem que tem uma pitadinha de photoshop aí, mas nada que tire a naturalidade do anúncio. Quem assina é a BBDO do México.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Nada se cria | 45

Links para esta postagem
Pelo visto, a idéia de engordar um super-herói e depois fazer um anúncio não tem nada de original. Como diria um grande amigo publicitário que estudou direito mas tem jeito de jornalista, "as idéias são como o amor, vivem no ar".



Power House Health Club
Agência: EURO RSCG
País: Índia




Body Tech
Agência: Fischer América
País: Brasil



foodonclick.com
Agência: TBWA\ISTANBUL
País: Turquia

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Bic, simples assim

Links para esta postagem
Antes de falar sobre o assunto de hoje, quero fazer uma espécie de teaser por aqui. Na verdade, quero antecipar um super post que estou preparando nas quase extintas horas vagas que tenho, me refiro a um "Nada se cria" diferente, envolvendo dois filmes extremamente bem sucedidos. Quem viver verá, garanto que será num futuro não muito distante.
.
Agora falando dos anúncios a seguir, são duas peças da Bic que foram anunciados em sequência, um na numa página 3 e outro na página 5 de uma revista. Resumindo, ficou simples, prático e inevitavelmente genial. Quem assina é a agência holandesa UbachsWisbrun/JWT.
Página 3
Página 5

domingo, 4 de maio de 2008

Brancas vencem

Links para esta postagem
A que ponto chegamos para vender sabão em pó. É por isso que eu não canso de dizer que a propaganda é fascinante em todos os sentidos.
A agência criadora dessa bela idéia é a Grey de Istanbul, Turquia.

Fonte: Adgoodness

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Peugeot 207 RC

Links para esta postagem
Tudo o que eu disse no post anterior vale perfeitamente para esses dois anúncios do Peugeot 207 RC. Dessa vez, a agência que assina é a Euro RSCG Santiago, Chile.


Fonte: Píndoles