sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Mais uma da Skol sobre futebol

Links para esta postagem
Entrou no ar agora há pouco o novo ótimo comercial da Skol, já o conceito, bem, o conceito não é o dos mais novos assim. Lembra da frase "Se o cara que inventou Skol tivesse inventado 'alguma coisa sobre futebol'"? É notório que, se existe uma fórmula "tiro e queda" para vender cerveja no Brasil - além de mulher com pouca roupa, é claro - é o tal do esporte bretão. A questão é fazer isso parecer cada vez mais natual em poucos segundos.

Criado pela F/Nazca S&S, o filme é mais um da campanha "Redondo é rir da vida". A diferença é que dessa vez, o foco está nos curiosos detalhes que são inerentes aos torcedores mais fanáticos. Ressalto também a locução do vídeo, literalmente, show de bola !


Fonte: CCSP

Nada se cria (de novo) | 78

Links para esta postagem
Desculpe minha total falta de coerência - ou coesão -, já que postar dois “Nada se cria” em sequência passa uma breve impressão que estamos atravessando alguma crise de criatividade. Também não poderia simplesmente adiar a publicação dessas duas peças iguais que só. A propósito, já perceberam como marcas de cervejas estampam com certa frequência essa nossa singela categoria? (Exemplos aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui).

Image Hosted by ImageShack.us
Anúncio à esquerda:
Budweiser | King of Beers
Agência: Palmer Jarvis DDB
País: Canadá
Ano: 2002

Anúncio à direita:
Heineken | King for a day
Agência: JW Thompson
País: Suíça
Ano: 2002

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Nada se cria | 77

Links para esta postagem
E aí? Chupada ou não? Será que o pessoal da Tailândia se liga em folhear anuários da África do Sul? Será? Será? Se for verdade, é isso que eu chamo de "think small".

Image Hosted by ImageShack.us
BP Superwash
Agência: Ogilvy Cape Town
País: África do Sul
Ano: 2007

Image Hosted by ImageShack.us
Amway Car Polish
Agência: Dentsu Young e Rubicam Bangkok
País: Tailândia
Ano: 2008

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Todos os slogans da Coca-Cola

Links para esta postagem
Já fazia algum tempo que eu queria publicar uma lista com todos os slogans da Coca-Cola. Como em 2009 a marca chega a quinquagésima frase que define seu posicionamento, me pareceu bem oportuno postar a lista que eu compilei.

Image Hosted by ImageShack.us

• 1917 - Three million a day | Três milhões por dia
• 1922 - Thirst knows no season | Sede não tem estação
• 1923 - Enjoy life | Curta a vida
• 1924 - Refresh Yourself | Refresque-se
• 1925 - Six million a day | Seis milhões por dia
• 1926 - It had to be good to get where it is | Tinha que ser bom para chegar onde está
• 1927 - Pure as Sunlight | Pura como a luz do sol
• 1927 - Around the corner from everywhere | Ao redor de uma esquina de qualquer lugar
• 1928 - Pure drink of natural flavors | Bebida pura de sabores naturais
• 1929 - The pause that refreshes | A pausa que refresca
• 1932 - Ice-cold sunshine | Nascer do sol bem gelado
• 1938 - The best friend thirst ever had | O melhor amigo que a sede já teve
• 1938 - Thirst asks nothing more | Sede pede mais nada
• 1939 - Coca-Cola goes along | Coca-Cola vai junto
• 1939 - Coca-Cola has the taste thirst goes for | Coca-Cola tem o sabor para a sede
• 1940 - A pausa que refresca (Apenas nos Brasil)
• 1942 - Wherever you are, whatever you do, wherever you may be, when you think of refreshment, think of ice-cold Coca-Cola | Em qualquer lugar que você está, o que você faça, em qualquer lugar que você esteja, quando você pensa em refrescar-se, pense numa Coca-Cola bem gelada
• 1942 - The only thing like Coca-Cola is Coca-Cola itself. It's the real thing | A única coisa como Coca-Cola é a própria Coca-Cola. É a coisa real
• 1946 - Isto sim é da pontinha! (Apenas no Brasil)
• 1948 - Era o que eu queria! (Apenas no Brasil)
• 1948 - Where there's Coke, There's hospitality | Onde há Coca, há hospitalidade
• 1949 - Along the highway to anywhere | Junto da estrada para qualquer lugar
• 1952 - What you want is a Coke | O que você quer é uma Coca
• 1955 - Almost everyone apreciates the best | Quase todas as pessoas apreciam o melhor
• 1956 - Making good things taste better | Fazendo coisas boas com melhor sabor
• 1957 - Sign of good taste | Sinal de bom gosto
• 1958 - The cold, crisp taste of coke | O sabor gelado, ondulado de Coca-Cola
• 1959 - Be really refreshed | Esteja realmente refrescado
• 1959 - Isso faz um bem (Apenas no Brasil)
• 1963 - Things go better with Coke | Coisas vão melhor com Coca
• 1966 - Tudo vai melhor com Coca-Cola (Apenas no Brasil)
• 1970 - It's the real thing | É a coisa real
• 1971 - I'd like to buy the world a Coke | Eu gostaria de comprar uma Coca para o mundo
• 1972 - Coca-Cola dá mais vida (Apenas no Brasil)
• 1975 - Look up America | Olhe aí, América
• 1976 - Coke adds life | Coca dá vida
1977 - Isso é que é (Apenas no Brasil)
1979 - Have a Coke and a smile | Tenha uma Coca e um sorriso
1982 - Coke is it! | Coca-Cola é isso aí!
1983 - Coca-Cola é isso aí (Apenas no Brasil)
1985 - We've got a taste for you | Nós conseguimos um sabor pra vocês (Coca-Cola e Coca-Cola Classic)
1985 - America's real choice | Escolha real da América
1986 - Catch the wave | Pegue a onda
1986 - Red white and you | Vermelho branco e você (Coca-Cola Classic)
1987 - You can't beat the feeling | Você não pode vencer o sentimento
1989 - Emoção pra valer (Apenas no Brasil)
1990 - Can't beat the real thing | Você não pode vencer a coisa verdadeira (Apenas nos EUA e Canadá)
1993 - Always Coca-Cola | Sempre Coca-Cola
2000 - Enjoy Coca-Cola | Curta Coca-Cola
2001 - Life tastes Good | Gostoso é viver (Apenas no Brasil)
2003 - Real (Apenas nos EUA e Canadá)
2003 - Coca-Cola... Real | Essa é a Real (Apenas no Brasil)
2003 - Make it real (Apenas no Reino Unido e República da Irlanda)
2003 - As it should be | Como deve ser (Apenas na Austrália e Nova Zelândia)
2006 - The Coke Side of Life | O lado Coca-Cola da vida
2008 - Live on the Coke side of Life | Viva o lado Coca-Cola da vida
2009 - Open Hapiness | Sua felicidade transforma!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Propagandas que embalaram minha infância: Carnaval 95

Links para esta postagem
Hoje é segunda-feira, - a famosa segunda-feira de Carnaval - e eu, assim como tradicionalmente faço em 95% dos carnavais que já vivi, prefiro qualquer coisa a cair na folia. Concordo que não é a atitude mais natural do mundo baseando-se no simples fato desse blogueiro ter nascido no Brasil, mas confesso que nesses últimos 27 eventos que presenciei, o máximo que tudo isso me rendeu foram as propagandas de prevenção do Ministério da Saúde. Um em especial me marcou, e a única coisa que me resta fazer nesse 23 de fevereiro de 2009 é postá-lo na categoria "Propagandas que embalaram minha infância."

O ano era 1995, a campanha "Quem ama se cuida" do Ministério da Saúde fazia parte de um esforço de comunicação do Governo Federal em informar e prevenir a população sobre a epidemia de AIDS no país. Desde meados dos anos 80, Ministério da Saúde veicula suas irreverentes, polêmicas e inigualáveis campanhas publicitárias.

Lembro-me bem que a letra ficou por muitos anos em minha memória - e faço questão de reproduzi-la aqui. Imagino que eu não seja o único que também considera essa a melhor campanha de carnaval que já vimos. Só lamento o fato de não descobrir a agência e produtora assinam o filme.



::Letra de Jamelão:
Desde os tempos mais remotos/ A camisinha sempre foi um bom programa/ Em Roma e no Antigo Egito/ Ninguém sabia o que levava para a cama/ Marco Antônio também usava/ E Cleópatra exigia e apoiava/ Na Idade Média foi igual/ Com doença a dar com pau/Ninguém se arriscava/ Daí veio o século vinte/ E a aids acabou com a brincadeira/ Todo mundo tem que ser esperto/ Por que ficar sem camisinha é dar bobeira/ Oi/ Bota a camisinha/ Bota pra valer/ E não dá chance pra esse tal de HIV.

P.S.: Neste link e neste outro, você encontra mais informações sobre todas as campanhas publicitárias do Ministério da Saúde desde os anos 80. Vale a pena conferir.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Dia do publicitário

Links para esta postagem
Eu nunca dei muita atenção para esse negócio de Dia do Publicitário, Dia da Publicidade, Dia do Marqueteiro, etc. Mas também não poderia deixar de fora esse anúncio do Jornal Correio do Estado homenageando o ego dos publicitários. A criação é da agência Qualitas Brasil (MS).

Image Hosted by ImageShack.us

sábado, 21 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Ação de guerrilha simula acidente na Nova Zelândia

Links para esta postagem
Teoricamente, hoje começa a folia generalizada pelos quatro cantos do país, e nem importa muito se a pessoa gosta ou não do carnaval, o negócio é o feriado, viajar, curtir uns dias a mais com a família ou simplesmente aproveitar o recesso para dar aquela adiantada nos freelas. Ainda que eu me encaixe mais nesse último grupo, sempre pego a estrada para o interior do estado ou curto algum hobby da moda.

Por que eu disse isso? Porque quero falar dessa ação de guerrilha que aconteceu na Nova Zelândia – ainda mais apelativo do que esse (aqui) que comentei há algum tempo. A ideia é simples, mas a produção é um pouco mais complexa e o efeito moral é fantástico.

Numa movimentada estrada daquele país, foi simulado um acidente de carro, com direito a paramédicos, bombeiros, vítimas e todos os elementos que compõem a cena daqueles minutos após um desastre. Quem passa pelo local, instigado pela curiosidade, diminui a velocidade para conferir a gravidade do ocorrido, e após alguns metros depara-se com a placa: “Será que a única coisa que o faz diminuir a velocidade é um acidente?”


Fonte: Blogcitário e Invisible Red

Eno - Almoço pesado

Links para esta postagem
Veja você, quero aproveitar as peças dessa campanha da Eno para dissertar sobre um detalhe que chama minha atenção nas propagandas impressas. Então pergunto: Alguém poderia me dizer por que diabos a maioria dos bons anúncios vêm com a chamada em fonte minúscula? Não vale responder que é para valorizar a imagem, então pense comigo. É evidente que muitas campanhas ganham força na internet - são as já famosas redes, ou mídias sociais - como esse blog em que você se encontra, que toma a liberdade de publicar e opinar sobre trabalhos que tenham alguma relevância.

Vendo com mais calma os anúncios abaixo, repare como fica difícil ler na tela o que está escrito ao lado da assinatura da peça, ainda que eu tenha padronizado a largura dos anúncios em 570 pixels, maximizando assim o tamanho das peças exibidas. Mas há casos - até mesmo em grandes portais de propaganda - em que os anúncios ficam bem menores e consequentemente, ilegíveis.

Pensando nessas situações, me pergunto se os anúncios perderiam muito se as escritas fossem maiores? Imagino que está faltando essa pequena readequação no momento de finalizar a arte. A peça deve sim estar em harmonia com todos os elementos, mas também deve ser prática ao ganhar vida na internet. Já deixei de postar ótimos trabalhos por causa da total incapacidade de ler o que estava escrito nas letrinhas que amarravam a imagem ao texto. Fica o registro.

Já os prints abaixo, chamou a atenção pela forma simples de ver o grande benefício que um Eno faz quando um sanduíche cai como pedra no estômago. A criação é da agência Memac Ogilvy e Mather Dubai.

:: A propósito, no texto lê-se: Heavy lunch. | Almoço pesado.

Image Hosted by ImageShack.us


Image Hosted by ImageShack.us


Image Hosted by ImageShack.us

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Novo logo Citröen

Links para esta postagem
Dando continuidade as marcas que entraram na onda de modernizar suas identidades visuais, chegamos a Citröen. E essa nem é a primeira vez que a montadora francesa da as caras por aqui, relembre alguns posts. Quanto ao logotipo, gostei.

Image Hosted by ImageShack.us

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Nada se cria | 76

Links para esta postagem
Incrível! Simplesmente incrível a semelhança entre esses dois filmes. Como diria Washington Olivetto: “Mais difícil do que ter uma grande ideia é reconhecer uma. Especialmente se for de outra pessoa.” Mas não, não acredito em chupada. Inimaginável uma coisa dessa, são apenas mistérios do universo.


Terra Parental Control
Agência: DDB
País: Brasil
Ano: 2008


Beate-Uhse Erotic TV
Agência: KemperTrautmann
País: Alemanha
Ano: 2008

:: Atualizado

Os seminovos
Desenhos: Maurício Ricardo

As aventuras de Mário, o publicitário

Links para esta postagem

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Copa do Brasil na ESPN

Links para esta postagem
A ESPN - Entertainment and Sports Programming Network - tem um estilo todo próprio de fazer propaganda. Com humor e irreverência, eles conseguem por no anúncio a alma do que assistimos na programação dos canais - sem tirar os méritos da NeogramaBBH, é claro.

Porém, apesar de ser um canal exclusivamente voltado aos esportes - entre eles o futebol tem enorme prioridade - a ESPN Brasil não transmite os principais campeonatos nacionais, nem mesmo a Série B do Brasileirão. Mas, não quero entrar nesse assunto que domina mesas redondas sempre que um contrato milionário de exclusividade é fechado pela Globo. Quero falar de propaganda.

Nos anúncios abaixo, a ESPN Brasil divulga uma das principais atrações da temporada 2009: A transmissão da Copa do Brasil. Sim, é um avanço significativo para a equipe comandada por José Trajano. E não vamos menosprezar esse eclético torneio que será disputado por equipes bem montadas como o Internacional, Flamengo, Fluminense, Santos, Corinthians, etc, etc, etc.

As peças tentam mostrar o que a Copa do Brasil tem de melhor. O fato de ser apresentada em forma de desenho, apaga um pouco a precariedade que ainda existe no nosso futebol, mas exalta a paixão e toda a essência que também existe num emocionante Itabaiana-SE X Ivinhema-MS.

Image Hosted by ImageShack.us
::
Águias x coelhos

Image Hosted by ImageShack.us
::
Cães x gatos

Image Hosted by ImageShack.us
::
Leões x hienas

Image Hosted by ImageShack.us
::
Lobos x ovelhas

Image Hosted by ImageShack.us
::
Ursos x focas

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Volkswagen: "Somos" nóis na fita

Links para esta postagem


O Meio e Mensagem classificou como uma feliz coincidência, eu como uma certa falta de posicionamento. Mas a questão mais importante da nova campanha da Volkswagen é que ela já gerou um bom bochicho – apesar de não encher os olhos.

Criada pela sempre AlmapBBDO, a campanha apresenta dois filmes dirigidos por nada mais nada menos que Fernando Meirelles. "Pensamos no que significa a marca, que é tanto alemã quanto brasileira. Se o lado europeu remete à tecnologia e design, a parte brasileira lembra coragem e bom humor. E para unir tudo isso, nada melhor do que Meirelles. Fizemos o convite e tivemos a feliz resposta que ele conseguiria conciliar sua agenda", comenta Fernão Cosi, diretor de unidade de negócios Almap e responsável pela conta da montadora de automóveis.

Nesses primeiros filmes, a assinatura "Das Auto" soou com estranheza, traduzindo fica algo como "O Carro". É aquele velho apelo voltado exclusivamente para os atributos materiais do produto. Porém, apesar dos comerciais buscarem expressões e gírias brasileiras que - , na minha opinião - não ficaram necessariamente naturais, eles devolvem uma pertinente sensação de "pessoas que sabem fazer automóveis". Vale citar um dos diretores de de criação, Marcello Serpa, que trata-se de um especialista no assunto. Ainda que dessa vez, deixou um pouco a desejar no quesito empolgação.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Civic Si: Veloz e furioso.

Links para esta postagem
Bela peça da Fischer América para o Civic Si 2009 da Honda.

Image Hosted by ImageShack.us

Novo logo Air France

Links para esta postagem
Depois da TAM (reveja), é a vez da Air France modernizar sua marca - e não é pra menos, já que o logotipo vinha sendo o mesmo desde 1975. Como já disse aqui algumas vezes, eu acho saudável constantes ajustes no logotipo por incontáveis razões. Todos devem concordar comigo que mais de três décadas é um certo exagero -, também é exagerado mudar todo mês. Equilíbrio meu caro Ray, equilíbrio.
Image Hosted by ImageShack.us

:: Fonte: Advertido

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Toda lata queria ser a nova lata de Skol Beats

Links para esta postagem
Gostei das peças da Skol Beats criadas pela F/Nazca Saatchi Saatchi. Humor, originalidade e uma boa pitada de ousadia formaram uma excelente fórmula para vender as novas embalagens da cerveja em lata. Só tenho uma dúvida: Não faltou um "APRECIE COM MODERAÇÃO" ?

Image Hosted by ImageShack.us


Image Hosted by ImageShack.us


Image Hosted by ImageShack.us

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Nada se cria | 75

Links para esta postagem
Uma dica: Pense duas vezes antes de usar aquela mídia na mesinha do avião. Pode ser que sua ideia não seja tão original assim. Pela lógica das duas peças abaixo, o anúncio brasileiro tem mais chances de ter sido plagiado, a menos que o pessoal da Lew'Lara/TBWA tenha uma máquina do tempo nos fundos da agência e a utilizou para copiar a ideia dos malaios. Ainda há a hipótese de tratar-se de meras e inocentes coincidências inerentes ao meio.

Image Hosted by ImageShack.us
Aruba
Agência: Lew'Lara/TBWA
País: Brasil
Ano: 2009

Image Hosted by ImageShack.us
Malaysian Airline System Berhad
Agência: Ogilvy e Mather Advertising
País: Malásia
Ano: 2008

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Mais polêmico do que criativo | 19

Links para esta postagem
Fazendo das palavras de João Moreira Salles as minhas, gosto dessa coisa de não ter necessariamente que relatar o fato no exato momento em que ele acontece. Olhando mais para os lados positivos dessa estratégia de não viver pendurado no noticiário, ganho tempo para escrever, maturo minha opinião e volto ao assunto depois que passa todo o turbilhão de notas a respeito do fato. Estou falando da campanha mais polêmica veiculada no Brasil, Itália... mundo na última semana.

Voltando a falar sobre uma propaganda polêmica depois de algum tempo, destaco os impressos da grife italiana Relish. Perto do que já foi visto por aqui, as peças não fazem nem cócegas no senso crítico dos mais exigentes, ainda assim, a polêmica é bem plausível. Dessa forma, vamos aos pontos.

Produzida no Rio de Janeiro, a campanha de outdoors foi veiculada nas cidades italianas de Bolonha, Nápoles e Milão. Lá, sofreu fortes pressões pelas organizações feministas e as próprias prefeituras dessas cidades. Segundo o Secretário de Turismo daqui, exposições como essa desrespeitam a Polícia Militar, a cidade do Rio de Janeiro e os próprios cariocas, lamentando que fatos desrespeitosos e preconceituosos como esse ainda ocorram em pleno século 21. Vale lembrar que já citei outra polêmica envolvendo policiais na publicidade (reveja aqui).

Baseadas superficialmente no filme Thelma e Louise, as fotos são de fato polêmicas, mas continuo achando que é tudo parte da estratégia de divulgação da coleção - e nada me dissuadiria disso. O próprio presidente da marca declarou que as fotos foram feitas no Brasil devido a sazonalidade do clima e o belíssimo cenário que é a praia de Ipanema. Quanto isso ofender nosso país? Não sinto que eventos como esses prejudiquem nossa imagem lá fora, seria tão tolo como dizer que o Drácula denigre a imagem da Transilvânia.

Concluindo, a Riotur ordenou imediatamente à embaixada italiana no Brasil a suspensão das peças e depois pediu desculpas pelo ocorrido. Os blogs e sites de notícias evidenciaram a marca. Os leitores comentaram superficialmente a respeito e a vida continua até o próximo caso que estarrecerá as comunidades que julgam-se mais moralistas. É a comédia da vida nada privada na "web 2.0.1."

Image Hosted by ImageShack.us


Image Hosted by ImageShack.us

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Propagandas que embalaram minha infância: Cofap

Links para esta postagem
Hoje eu quero citar uma campanha inteira para se juntar a nossa já consagrada série Propagandas que embalaram minha infância, - e o motivo é incrivelmente simples - tratam-se de filmes inesquecíveis para meus conteporâneos. Refiro-me aos comerciais do Tubogas Cofap protagonizados pelo simpático cãozinho basset que fez história em nossa propaganda. Vale lembrar que qualquer estudante de publicidade que se preze deve estar careca de assistir esses filmes nas aulas de PP (vocês são felizes e não sabem).

Pois bem! Em 1989, um tal de Washington Olivetto emplacou uma das referências mais marcantes ao longo de sua carreira: Um cachorrinho da raça teckel ou dachshund - para alguns basset - se transformou em um ícone para os amortecedores da marca. Os comerciais fizeram tanto sucesso que a própria raça tornou-se vulgarmente conhecida como Cofap, e o dócil cãozinho passou a ser um símbolo do produto.

Não demorou muito para que o trio composto por Olivetto, Gabriel Zellmeister e Ruy Lindenberg, todos da W/Brasil, fizessem um fantástico trabalho explorando a semelhança anatômica do animal com o design do amortecedor. Baseando-se nesse conceito foi criado todo o mote dos comerciais. Obviamente, a memorável campanha trouxe excelentes resultados para o cliente, fortalecendo a imagem da marca e conquistando a simpatia de praticamente todos os brasileiros. No total, o cãozinho "Cofap" protagonizou quatro filmes entre 1990 e 1991, alguns deles com a participação do Marcelo Nepomuceno na criação.

Quase duas décadas após esse fenômeno da nossa propaganda, muitos ainda associam a marca ao melhor amigo do homem. Alguns ainda dizem que isso não para de oportunismo, ou seja, qualquer coisa feita com animais naquela época ganharia a simpatia de todos (o filme "Eu voltei" exemplifica bem essa identificação). Outros defendem que a ideia só ganhou toda essa longevidade porque foram muito bem produzidos. Ainda não cheguei a uma conclusão, mas acredito que isso é o menos importante ao olhar para tudo de bom que é produzido por nossa propaganda.


:: Seleção de 4 filmes da campanha


:: Mais um filme


:: Eu voltei

domingo, 8 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Nada se cria | 74

Links para esta postagem
Image Hosted by ImageShack.us

Anúncio à esqerda:
Toto Winner Daily Betting
Agência: Publicis Ariely Ramat Gan
País: Israel
Ano: 2004

Anúncio à direita:
Seat WTCC Team victory
Agência: Atletico Barcelona
País: Espanha
Ano: 2007

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Um pequeno exemplo da grande força de um viral

Links para esta postagem
Quem não vive em Cuiabá-MT ou Campo Grande-MS provavelmente não sentiu o frisson que as visitas dos inspetores da FIFA está causando nessas cidades. O motivo é a disputa entre as duas capitais para ter o direito de se tornar uma das 12 sub-sedes da Copa do Mundo de 2014.

Assim como como ocorreu há 32 anos – quando o estado foi dividido – o clima de disputa mexeu com os ânimos das duas populações. Quem atacou primeiro foram os campo-grandensses, ao produzir e divulgar um folder com 34 itens, sendo que em 12 deles atacavam a capital do norte. Isso gerou algumas retaliações e a coisa toda ganhou a boca do povo.

Ontem (03/02/09) a FIFA fez a última visita Campo Grande antes do anúncio oficial das cidades escolhidas – que será no próximo dia 20 de março. Hoje foi a vez de Cuiabá. Em comum, os dois estados têm o Pantanal como grande atrativo.

Agora vamos ao que interessa. O site Lance.net está realizando uma enquete (aqui) para saber dos internautas quais cidades devem preencher as 6 vagas que restam, uma vez que o Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis devem ser eleitas.

Agora veja que curioso. Ontem até o final da tarde Campo Grande vencia com larga vantagem, foi então que começaram os e-mails cuiabanos, eu mesmo recebi pelo menos cinco mensagens pedindo uma contribuição. O resultado é uma reviravolta incrível em pouco mais de 24 horas. É até redundante falar isso, mas veja como um simples esforço de comunicação torna-se extremamente eficiente quando bem direcionado.

:: Veja as duas parciais nas imagens abaixo:

Parcial em 03/02/09 – 11h07:



Parcial em 04/02/09 – 13h25:


P.s.: Para entender um pouco mais sobre essa "rivalidade" entre Cuiabá e Campo Grande, sugiro que leia o ótimo artigo do jornalista Onofre Ribeiro (clique aqui).

Abre aspas - É URGENTE !!!!!!

Links para esta postagem
Não sei ao certo se é aqui o lugar mais adequando para fazer um desabafo, mas sinceramente, creio que o que escreverei fará algum sentido para boa parte dos leitores. Estou falando sobre o tal “URGENTE !!!!!” - e é assim mesmo que se escreve, com letras maiúsculas, negritado e acompanhado por uma pancada de pontos de exclamação.

Primeiro, quem tem o “urgentismo” como estilo de vida é aquele cara que se planeja com a mesma frequência com que vai ao posto de combustível para calibrar o estepe do carro. Urgência é um perfeito sinônimo de desorganização ! Quando vosmecê intitula qualquer coisa com um irritante “U-R-G-E-N-T-E” é como se disseste, “por favor, pelo fato de eu ser completamente desorganizado e não ter qualquer controle sobre minhas tarefas, preciso que meu pedido venha antes de tudo o que você planejou cuidadosamente”. Em outras palavras, banalizou-se o termo.

Como eu criei o caos, seria elegante da minha parte sugerir uma opção de solução, caso contrário me englobaram naquele grupo que costuma gritar “aleluia” e depois pedir para que passem a mostarda. Pois bem, aos 3 bilhões e 800 milhões* de seres que costumam falar mais “isso é urgente” do que “tive uma ideia”, sugiro que comecem lendo – com urgência – “O Programa de Eficiência Pessoal” (Gleeson, Kerry), editora MAKRON BOOKS.

Eu tenho o hábito pouco ortodoxo de separar todos os pedidos “urgentes” e realocá-los em seu devido lugar. Claro que algumas muitas vezes, isso gera um certo desconforto, mas já percebi que é uma providencial forma de lidar com o problema. Outro dia mesmo recebi um e-mail de um atendimento freelancer que iniciava-se com uma inacreditável “Lista de urgências”. Eu tive calafrios ao ler aquilo, uma lista de urgência é a perfeita essência da diferença que muitos costumam apontam entre viver e sobreviver. Pelo menos é o que de mais sensato eu deduzi ao me deparar constantemente com essa infernal palavra.

* A inferência estatística é um mero cálculo que fiz baseando-se no meu cotidiano, a margem de erro deve ser algo como 35% para mais ou para menos, dado o tamanho do universo.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Super Bowl XLIII: Top 5

Links para esta postagem
Para não ser lembrado como o blogueiro que não citava os comerciais do Superbowl em seu blog de publicidade, resolvi tomar uma pequenina atitude – até pelo fato do assunto estar saturado na blogosfera – porém vou me ater citando apenas os cinco filmes que mais me agradaram. Lembrando que é uma opinião totalmente pessoal, tendo como critério apenas aquela sensação de “Nossa! Como eu não pensei nisso antes.”

:: Veja a lista com todos os filmes aqui

Em 1º lugar: Doritos | “Power Of The Crunch” | Diretor: Eric Heimbold


Em 2º: Coca-Cola | “Heist” | Agência: Wieden + Kennedy


Em 3º: Monster.com | “Double Take” | Agência: BBDO, New York


Em 4º: Cars.com | “David Abernathy” | Agência: BBDO


Em 5º: Teleflora | “Talking Flowers” | Agência: The Fire Station (In-house)

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Propagandas que embalaram minha infância: Rider

Links para esta postagem
Não acredito que novamente cito um comercial da Rider nas propagandas que fizeram parte de minha infância, há pouco mais de um mês comentei o filme descobridor dos sete mares (reveja aqui). Mas sinceramente, não poderia deixar de fora dessa seleta galeria esse filme que jamais abandonou minha memória.

Lembro-me perfeitamente quando o assisti pela primeira vez na tevê, estava curtindo férias com meus pais em Fortaleza, logo após o Brasil ser tetra. Lembro que implorei para minha mãe comprar para mim uma bola igual a do filme, com as bandeiras dos países que participam da Copa do Mundo de 1994.

Criado pela W/Brasil, o trabalho em si não é dos mais criativos que nossa propaganda já fez, mas foi contagiante pelo momento que vivíamos, e o Romário - ainda que se utilizasse de uma interpretação tosca dele mesmo - era uma unanimidade impressionante pelo seu futebol.

No livro Uma bela jogada - 20 anos de marketing esportivo (Outras Letras Editora), li um fato curioso nesse case. Na época do comercial o baixinho já tinha contrato com a Nike, e para quem não sabe, a marca estadunidense também comercializava sandálias que concorriam com a Grendene. Porém, o filme protagonizado pelo nosso camisa 11 tornou-se viável porque antes de assinar o contrato com a Nike, o próprio Romário percebeu a cláusula que citava chinelos no rol de produtos e disse algo como: "Pô peixe, meu negócio não é tênis e chuteiras? Tira isso daí." Ainda bem!


P.S.: Por favor, desconsidere os dizeres sobre a imagem do comercial, elas não pertencem ao filme.