sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Afonte | Creme anti-idade

Links para esta postagem
(Por que as pessoas têm essa mania de dizer "Graças à Deus" a quase tudo? - Amanhã eu viajo para minha cidade natal e regresso apenas na quarta-feira, ou seja, este blog deve ficar totalmente desprovido de atualizações - o que não deixa de ser uma boa notícia. Mas antes de partir, um último anúncio impresso para fechar o mês de outubro. E sabe o que eu mais gosto nesse tipo de trabalho? É o pequeno delei que ele proporciona. Sensacional! A criação é da agência paranaense Heads Propaganda.


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Louco, não. Promoção!

Links para esta postagem


Estou concorrendo ao livro "Administração em Publicidade" que a @CengageBrasil e @lumarino estão sorteando: http://bit.ly/bWVmge


:: Clique aqui para ler a resenha do livro Administração em Publicidade
:: Clique aqui para acessar o site da Cengage Learning
:: Clique aqui
para seguir a Cengage Learning no Twitter
:: E finalmente, clique aqui para ter o livro sem precisar do sorteio (o:


terça-feira, 26 de outubro de 2010

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Topper zicou a seleção de futsal?

Links para esta postagem
(Esse é o problema...) - Veja como é vida, a nossa querida seleção brasileira de futsal é uma máquina de vencer. É impressionante como eles simplesmente não perdem - os caras estavam invictos há mais de 160 jogos, algo incrível para qualquer modalidade. E aproveitando-se dessa fama, a Topper, patrocinadora oficial da seleção, veiculou essa divertida campanha com o jargão "mas neeeem se o Brasil perder no futsal". Ontem - bem, nem preciso dizer o que aconteceu, né? Perdemos a final do Grand Prix de Futsal para a Espanha. Daí vem aquela inevitável perguntinha cretina: Foi zica da Topper?!




Fonte: Erros de Marketing

domingo, 24 de outubro de 2010

Leitura recomendada | Mapa do jogo

Links para esta postagem
Apesar de carregar a fama de nerd, confesso que nunca fui um desses viciados em games. Ainda assim, lembro com nostalgia do Atari e Mega Drive. E para que você saiba melhor com quem está falando, o jogo que mais chamou a minha atenção nos últimos 29 anos foi Duke Nukem - daí você já tem uma ideia melhor do cidadão que vos posta.

Mas como um eclético publicitário que me considero, não poderia ignorar a análise semiótica que os games proporcionam. Afinal de contas, estamos falando de um fenômeno comportamental único na história da humanidade. Uma indústria cuja movimentação financeira é superior à do cinema, e é a terceira no mundo, perdendo apenas para a indústria bélica e a automobilística. E para entender melhor como isso funciona exatamente, nada melhor do que a obra organizada por Lucia Santaella e Mirna Feitoza.

É inegável que o game se tornou um novo ícone da cultura pop que foi capaz de desenvolver - em curto período de existência - toda uma retórica própria que merece ser investigada. No livro, percebemos ainda que a interação entre filmes e games é cada vez mais profunda. Não apenas as campanhas de marketing dos filmes e dos games, mas também suas produções e seus desenvolvimentos tornaram-se interconectados.

Constituído em torno de um projeto de pesquisa, Mapa do Jogo fornece ao leitor pistas interessantíssimas para compreender a densa geografia dinâmica dos games e da complexidade de relações que eles têm descortinado em nossa cultura e sociedade. Segundo uma teoria, o jogo constitui uma preparação do jovem para as tarefas sérias que mais tarde a vida dele exigirá - trata-se de um exercício de autocontrole indispensável ao indivíduo. Por exemplo: é preciso que as coisas que ocorrem no jogo façam sentido ao jogador e possam ser associadas a experiências anteriores, ou ao seu repertório, ou ao seu conhecimento formal e empírico. Esse fato também está vinculado ao processo imersivo do jogo.

Após ler o livro constatei que é preciso prestar muito mais atenção aos games, eles são, indubitavelmente, um dos mais diversos e metamórficos gêneros culturais que já existiu. Não há mais como negar que os games se tornaram uma mídia, e quanto mais os tipos de mídia se multiplicam, mais aumenta a interação entre elas. Acredite: o universo dos jogos está se tornando muito mais rico do que o sucesso Counter-Strike faz supor.
::
MAPA DO JOGO - A diversidade cultural dos games

Autoras: Lucia Santaella e Mirna Feitoza
Categoria: Marketing e Comunicação
Editora: Cengage Learning
Blog da editora
272 Páginas

Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
:: Clique aqui para comprar

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Louco, não. Promoção! - Resultado

Links para esta postagem
(Acabou) - Muito bem, conforme prometido nas últimas semanas hoje foi sorteado o livro Marketing Pessoal - um oferecimento da editora parceira Cengage Learning. Abaixo o nome do felizardo escolhido aleatoriamente via random.org. Obrigado a todos que participaram e fiquem ligados porque na próxima semana teremos uma nova promoção.

Louco, não. Promoção!

Links para esta postagem
(É hoje!) - Senhoritas e senhores, os comentários da promoção do livro Marketing Pessoal estão encerrados. Mais tarde divulgo o vencedor. Abaixo a lista dos participantes. Boa sorte a todos!

01) MaMaHaMa | 9h25 AM
02) Mellina | 11:51 PM
03) erly_miranda | 3:34 PM
04) vandeko | 8:46 AM
05) Ismael | 8:48 AM
06) Leandro Magalhães | 9:13 AM
07) Dhiego Rodrigues Feitosa | 9:20 AM
08) Fábio Lettrari | 9:42 AM
09) Cristian Andrade | 12:13 PM
10) Juliana | 1:11 PM
11) Thiago | 2:23 PM
12) Itarcio A. L. | 5:06 PM
13) Mayra alves de recife/PE | 9:43 PM
14) Fábio Dias | 8:41 AM
15) Lucimar | 12:45 PM
16) Fá | 8:32 PM
17) Dedelho | 11:30 AM
18) Paulo Mardson de Lima Ribeiro | 11:51 AM
19) Luiz Mota | 2:39 PM
20) Bruno Alberto | 3:07 PM
21) Caio Simões [SOLUTION] | 12:08 PM
22) Fábio Reis | 12:09 PM
23) Si | 7:34 PM
24) Leticia Andrea W. | 7:41 PM
25) rodrigo | 9:40 AM
26) Joildo | 9:45 AM
27) Mayra Lisboa | 10:56 AM
28) Lays Magri | 4:41 PM
29) Italo Castro | 1:40 AM
30) Passado Brasileiro | 1:50 PM
31) Thaíse Cavalcante | 9:12 AM
32) Carol | 2:06 PM
33) Alana Paganucci | 9:46 PM
34) MAYRA ALVES- RECIFE/PE |7:18 AM
35) Fabio Lettrari | 9:47 AM
36) Lays Magri | 1:09 PM
37) Cris | 8:39 AM
38) Hanngar Comunicação | 1:34 PM
39) Lucas jean | 6:01 PM
40) Kátia Pacheco | 12:00 PM
41) Everton | 11:30 AM
42) Maisa Medeiros | 11:57 AM
43) Adriana Boaski | 8:24 AM
44) Hernandes | 2:55 PM
45) DuDu | 11:07 AM
46) Fá | 8:29 PM
47) Fábio Reis | 12:08 PM
48) Natália Gudin | 1:58 PM
49) Gutt | 1:31 PM
50) Vitor | 12:21 AM
51) Consultora Educacional | 3:52 PM
52) Bárbara | 9:09 PM
53) Cássia Gomes | 9:17 AM
54) Fernanda Reis | 9:27 AM
55) Fausto Echer | 9:33 AM

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Nada se cria | 144

Links para esta postagem
Image Hosted by ImageShack.us
Bianco Footwear
Agência: … & Co
País: Dinamarca
Ano: 2001

Image Hosted by ImageShack.us
Essere
Agência: Talent
País: Kuwait
Ano: 2010

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

A leitura inspira as crianças

Links para esta postagem
(Horário de verão é o que há!) - O comercial abaixo mostra apenas um dos incontáveis benefícios da leitura. Ela inspira as crianças - e claro, também serve para os marmanjos. Falarei melhor disso no último post de 2010 - programado para alguma coisa perto de 30 de dezembro. Voltando ao filme, seu objetivo é arrecadar fundos para compra de livros nos Estados Unidos - um país que lê muito mais que o Brasil, diga-se de passagem.


:: Este post foi uma dica do tuiteiro @MRKBCA

Novo logotipo da Globo News

Links para esta postagem
(Mudou tudo!) - Para comemorar seus 14 anos de vida, a Globo News estreou neste último dia 18 seu novo posicionamento: nunca desliga. E para isso, além do slogan, nomes de programas, cenários e toda a parafernália de costume, também foi apresentado o novo logotipo do canal por assinatura. A agência que assina a nova identidade visual é a Crama Design Estratégico. Eu, pra variar, ainda não consegui descobrir se gostei, acho que ficou "informal" demais. Com o tempo eu vou me acostumando com a ideia. E você, o que achou?



Volkswagen : Somos todos iguais, mas diferentes

Links para esta postagem
(Milk Run) - Este comercial da Volkswagen é mais um belíssimo trabalho da DDB da Nova Zelândia. Eu gosto muito dessa coisa compassada, sem muito blá-blá-blá e no fim, uma mensagem simples e insuportavelmente direta. We're all the same, but different.


sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O desperdício é ridículo

Links para esta postagem
(Reciclem seus animais) - Este belo filme mostra como pode parecer ridículo o desperdício de energia elétrica. Com criação da DDB do Canadá a ideia é divulgar um programa de conscientização da BC Hydro Power.


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Me entrevistaram

Links para esta postagem
(Acho que estou ficando careca) - A agência Mercatto cometeu a irresponsabilidade de me entrevistar. Isso mesmo, por alguma razão eu fui o primeiro convidado de uma série que eles acabaram de criar, alguma coisa como "Sabatinada Mercatto". Eu acho. No papo falamos sobre o Louco, não. Publicitário e suas suas intransponíveis linhas editoriais. Tagarelamos ainda sobre política, halloween, influência escandinava nas monarquias europeias e a minha preferência por bolo de arroz. Tenho a impressão de que eles não gostaram do resultado, de qualquer forma comentem lá - se acharem que devem.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Nada se cria | 143

Links para esta postagem
(nada melhor do que uma quarta com cara de segunda) - Veja só o que temos aqui. Quando vi essa peça da Coca-Cola tive aquela estranha sensação de dejà vu, ou seja, uma alteração no programa da Matrix. Depois de uma rápida pesquisa não deu outra: Nada se Cria na cabeça.


Dasani Water
Agência: -
País: Estados Unidos
Ano: 2007


Coca-Cola
Agência: McLaren McCann
País: Canadá
Ano: 2009

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Volkswagen Jetta 2011

Links para esta postagem
Fantásticos. Fantásticos. E pela terceira vez: fantásticos! Assim são os comerciais do Volkswagen Jetta 2011. No fundo, o conceito por trás dos filmes é idêntico a outros milhares que rodam por aí, mas este tem um humor mais refinado, mais... digamos, elegante. O barato dos comerciais é informar que um grande carro não precisa necessariamente ser caro - algo impregnado nas pessoas. A criação é da agência Deutsch, de Los Angeles.

:: Dream Team


:: Moonlighting

Fonte: Ypsilion2

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Meus Grandes Livros

Links para esta postagem
(Eu não lembro se já falei disso aqui, de qualquer forma, lá vai.) No começo do ano eu criei um blog bem simpático, onde meu principal objetivo era não ter lá muito trabalho com ele - a falta de compromisso com as atualizações deveria reinar. Na verdade, esse ainda era o objetivo secundário, o principal era ter um lugar onde eu pudesse catalogar os livros que ia lendo. Sim, eu sei que isso é meio estranho, afinal de contas, qual seria o sentido em ficar arquivando livros num maldito blog?

Alheio a isso e sem ao menos sonhar que existisse uma rede social como o Skoob, mandei ver, criei o "Meus Grandes Livros" - o blog que, logo de cara ganhou o título de menos visitado do mundo. Se bem que, naquela época, deveriam existir outros milhões de blogs igualmente impopulares. Mas essa era a ideia, apenas catalogar, sem se preocupar com a audiência. Como eu disse, um blog simpático e nada mais.



Sete meses depois, surge na tela do meu Google Reader o primeiro seguidor - e não trata-se da minha mãe, já que ela não acessa esse prático serviço do Google. E o que poderia representar um motivo de comemoração para qualquer blog impopular que se preze, para mim o acontecimento simbolizou apenas uma coisa: o Meus Grandes Livros deixara de ser o menos visitado do mundo, e agora? Bem, agora o jeito é divulgar e tentar torná-lo o mais popular do mundo.

Tá bom. Esquece.

:: meusgrandeslivros.blogspot.com

Fischer+Fala! 30 anos de Conar

Links para esta postagem
O Conar, Conselho de Auto-regulamentação Publicitária, comemora 30 anos nesta semana. E para homenagear o aniversário da entidade, a Fischer+Fala! criou este belo anúncio.

A peça mostra um cahorrinho cercado por frases que brincam com todo tipo de reclamações que possam, por eventualidade, chegar ao Conar. “Tanta gente passando fome e esse cachorro sendo modelo – ONG China contra a fome”, Cheio de vira-lata precisando de adoção e vocês usam um cachorrinho fru-fru? - ONG Cão de Lá” e “Estão diminuindo nosso mercado de atuação – União pelas pulgas saltadoras” são algumas das mensagens que estampam o anúncio.

:: Clique na imagem para ampliar.


terça-feira, 5 de outubro de 2010

Mais polêmico do que criativo | 38

Links para esta postagem
Existem muitas formas de se falar as coisas em propaganda, e as pessoas já deveriam saber disso. Dia desses estava falando com um amigo sobre algumas cagadas que são veiculadas em horário nobre, e o mais impressionante é saber que uma ideia de jerico normalmente passa por várias pessoas antes de ir ao ar. Veja o caso deste comercial abaixo - que foi produzido exclusivamente para as mídias sociais.

Para alertar os pais que a obesidade obesidade infantil pode ser comparada a uma droga, a agência australiana The Precinct Studios criou este polêmico filme que termina com a seguinte frase: “Você não injetaria drogas em seus filhos, então por que vocês os alimentam com isso?”. De acordo com o diretor da agência, Henry Motteram, “os pais precisam ser alertados que se suas crianças são obesas, a culpa é deles em primeiro lugar”.


Fonte: Ypsilon2

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Numa eleição, feio é perder

Links para esta postagem
Este blog não tem - e nunca terá - foco em marketing político. Não que eu odeie o assunto ou seja um desses pessimistas convictos. Pelo contrário, eu até me interesso por política num nível bem acima da média da população - o que também não é muito difícil, diga-se de passagem. Não importa, o que acontece é que eu apenas optei por não falar do assunto no meu blog. Porém, não falar a respeito de política não significa que eu não acompanhe o que está acontecendo no meio.

Meus amigos, antes de apertar aquelas peculiares teclas na solidão da cabina de votação, eu respirei política para não correr o risco de fazer alguma cagada - tipo, votar no Riva. E nessa minha trabalhosa análise para descobrir o que tínhamos de melhor, acompanhei de perto o trabalho da agência que mais gosto aqui em Cuiabá: a FCS. Queria entender o motivo deles terem assumido uma campanha política - algo inédito na história da agência. Eu sabia que algo importante iria acontecer.

Hoje eu entendo o que aconteceu, por isso tomei a liberdade de reproduzir na íntegra o texto do amigo Gustavo Vandoni, publicado no blog da FCS um dias após esse histórico 4 de outubro de 2010. Melhor do que Predro Taques nos representar no Senado Federal é saber que ainda existem pessoas que fazem política respeitando a inteligência das pessoas.

“Numa eleição, feio é perder”
:: Por Gustavo Vandoni
e-mail: gustavo@fcsbempensado.com.br
Twitter: @gvandoni

Foi com essa frase, dita num curso que eu fiz em São Paulo anos atrás, que prematuramente morreu meu interesse pelo marketing político e eleitoral. Eu, um jovem publicitário, sócio de uma pequena agência de propaganda dando seus primeiros passos em Cuiabá.

A frase ficou ecoando na minha cabeça durante tanto tempo que eu nem mais conseguia prestar atenção nas aulas. “Feio é perder”, a meu ver, seria outra forma de dizer que os fins justificam os meios. Que vale tudo.

Foi então que decidi ficar de fora desse “nicho”, e apontar o foco exclusivamente à iniciativa privada.

Mas como fazer isso num mercado aonde grande parte do investimento vem do setor político/público? Para sobreviver e crescer, a empresa teria que ter uma gestão extremamente profissional. A saída seria conhecimento aliado à inovação. Um dia o mercado privado iria compensar.

E assim, olhando longe, seguimos nosso caminho e, apesar das dificuldades, considero que tomamos a decisão certa.

Hoje somos uma das maiores agências do Estado de Mato Grosso, contando com mais de 50 profissionais, quatro escritórios fora do Estado e diversos clientes espalhados pelo Centro-Oeste, Norte, Nordeste e Sudeste do Brasil. Fomos pioneiros no conceito de Comunicação Estratégica e já praticávamos planejamento de comunicação quando o senso comum ainda eram “campanhas de publicidade”. Fomos a primeira agência a ter departamento de Planejamento e Novas Mídias e lançamos a primeira campanha de Marketing Viral do Estado. Fomos os primeiros a ter um Blog ao invés de um site institucional e fomos premiados internacionalmente por uma campanha de Guerrilha. Já fazíamos Branding bem antes de começar o burburinho, e fomos a primeira agência do Estado a concluir um processo de sucessão de diretoria de forma altamente profissional. Eu saí da direção da empresa para buscar novos conhecimentos no exterior e ela foi assumida pelos meus sócios de maneira extremamente equilibrada e consciente, e que vêm fazendo um trabalho melhor do que o meu, diga-se de passagem. Tudo isso sem conta pública e sem política.

Mas porque que eu estou falando disso?

Porque este ano a gente resolveu abrir uma exceção. A gente atendeu um candidato.

Só que antes de atender esse candidato, a gente decidiu que votaria nele. E isso independente dele ser ou não nosso cliente. Sua decisão de se tornar candidato e a nossa decisão de atendê-lo foram totalmente convergentes. Ambos estreantes na política e ambos com uma profunda crença na mudança proporcionada pela Ética. Ética na política, na sociedade, na propaganda, na mídia, nas empresas. Não tínhamos o direito de declinar. Aceitamos, peitamos o desafio e não nos arrependemos.

Campanha difícil. Excelente candidato, mas com alguns fatores que dificultam muito uma eleição nos dias de hoje: pouca visibilidade, pouca grana e muito escrúpulo.

Mensagem clara, focada. Estratégia pura, sem dar ouvidos a conversas e opiniões paralelas, esse candidato começou a campanha com modestos três pontos percentuais e foi consistentemente subindo nas pesquisas, até colar no segundo colocado.

Hoje, pra nossa grata satisfação, é o segundo Senador mais votado do Estado de Mato Grosso, com larga vantagem sobre o terceiro colocado nestas eleições de 2010.

E mesmo que não tivesse vencido, já o consideraria – e nos consideraria – vitoriosos. Foi uma campanha onde os fins não justificaram os meios. Onde mais feio do que perder, seria ganhar trapaceando, enganando.

Pedro Taques foi sim o grande fenômeno eleitoral deste ano. E não estou aqui requerendo créditos dessa vitória. O que a gente fez foi mostrar de forma clara e objetiva, a todas as esferas sociais, quem ele foi e quem ele será no Senado.

E pra nossa imensa alegria nós ganhamos. Mas ganhamos bonito.

sábado, 2 de outubro de 2010

Leitura recomendada | Criação visual e multimídia

Links para esta postagem
A criação publicitária está se tornando sistematicamente mais complexa ao longo dos anos. Os públicos estão cada vez mais segmentados. Ser exclusivo está deixando de ser um diferencial. Meras sacadas criativas não fazem mais um grande publicitário. E então eu pergunto: onde você está se encaixando nessa nova realidade?

Criação visual e multimídia é uma ótima resposta para as constantes perguntas que desafiam o profissional de propaganda moderno. Da escola de Gestalt ao design gráfico, o livro aborda teorias que o ajudarão a encontrar o caminho. As pessoas que criam publicidade precisam sair de suas próprias cabeças, abandonar sua consciência do dia a dia para entrar em contato com uma mente inconsciente. Assim como a poesia, a arte e a música a grande publicidade jorra do inconsciente.

Chegamos em um estágio onde não se permite mais criar sem propósito. Não é criar livremente e de qualquer maneira. É criar sabendo que existe um objetivo muito bem definido - as grandes ideias devem ser embasadas em pesquisas. Está comprovado que recebemos aproximadamente 3.000 mensagens de comunicação por dia, sendo que conseguimos reconhecer 80 delas, e retemos apenas 12. Por isso, o livro lembra que na briga pela percepção, o desequilíbrio do produto criativo começa a acontecer.

Além de
João Vicente Cegato Bertomeu, outros professores e profissionais da área tratam de assuntos que provocam reflexão no leitor. Destaco o capítulo de Patrícia Fonseca, que fala sobre Arte e Imagem, onde as pessoas - imersas em tanta informação - tornam-se cegas, analfabetas visuais incapazes de perceber imagens além daquelas que são divulgadas e consagradas pela mídia. As pessoas estão sendo educadas visualmente há mais de dois mil anos, e o padrão de beleza ainda é aquele estabelecido pelos escultores gregos. Em outras palavras: temos preguiça de enxergar, preferimos olhar as imagens que nos são jogadas por meio da TV, revistas e sites.

Em outro capítulo,
Filipe Salles cita Platão para explicar a existência de dois tipos de imagem: uma objetiva, detectada por nossos sentidos da consciência, e outra subjetiva, advinda de uma ideia, de um pensamento. Já Paulo Cezar Barbosa Mello - mestre em Estética e História da Arte - lembra que a Internet se compara - em grau de importância para a humanidade - à Revolução Industrial. A diferença é que a Internet continua, assustadoramente, em evolução.
::
CRIAÇÃO VISUAL E MULTIMÍDIA

Autor: João Vicente Cegato Bertomeu
Categoria: Marketing e Comunicação
Editora: Cengage Learning
Blog da editora
152 Páginas

Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
:: Clique aqui para comprar

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Louco, não. Promoção!

Links para esta postagem


:: Clique aqui para ler a resenha do livro Marketing Pessoal
:: Clique aqui para acessar o site da Cengage Learning
:: E finalmente, clique aqui para ter o livro sem precisar do sorteio (-:

As aventuras de Mário, o publicitário

Links para esta postagem