sexta-feira, 25 de março de 2011

A faixa sob o outdoor do Kia Sorento

Links para esta postagem
Veja o que a agência Art&C fez para divulgar a a concessionária Kia Dunas, de Natal (RN). Nunca sei direito o que pensar dessas ações, acho que é válido. E essa Carol é mesmo uma danadinha.

guerrilha_dunas_motors_natal_kia
:: Vi no Comunicadores de Plantão

quinta-feira, 24 de março de 2011

Novo logo do Boticário

Links para esta postagem
(Melhorou, perto do antigo) - Ontem o Boticário lançou seu novo logotipo, exatamente um dia após comemorar seu 34º ano de fundação. A novidade retrata a evolução da empresa e é resultado de pesquisas realizadas com os consumidores da marca, somadas a um levantamento feito por meio de estudos qualitativos com o público feminino. A partir deste domingo (27/03) - no intervalo do Fantástico - vai ao ar a campanha institucional com a nova cara. O slogan também deverá agradar: A vida é bonita, mas pode ser linda.
E você, cara-pálida, o que me diz?

quarta-feira, 23 de março de 2011

Economize água, ou...

Links para esta postagem
(Interessante isso) - Veja que legal essa ação de PDV que a agência Staff criou para conscientizar as pessoas para o uso racional de água. Aproveitando-se do dia mundial do nobre líquido (22.03), a agência posicionou as garrafas nas prateleiras mais altas de um supermercado, dificultando intencionalmente o acesso dos consumidores, logo abaixo a mensagem: Evite o desperdício ou vai ficar cada vez mais difícil conseguir água.

http://3.bp.blogspot.com/-z3u5KJmyQzU/TYoF9vwofiI/AAAAAAAADhA/LpTYr2p5PGA/s1600/ac3a7aoagua.jpg

Moda ou revolução?

Links para esta postagem
(Impressionante!) - Recebi este vídeo via email - uma ferramenta passé, como consideram as gerações Y e Z. Os dados sobre mídias sociais são impressionantes, e mostram o tamanho da revolução que estamos vivendo. Senhores, entendam o que está acontecendo com o mundo.
A pergunta que não cala é: How's it going to end?

segunda-feira, 21 de março de 2011

Vote e concorra

Links para esta postagem
(Ajudem) - Publicitários, um pedido: ajudem os meus grandes amigos - igualmente publicitários - Leandro Magalhães e Luciana de Freitas a irem para a Argentina para assistirem ao mega show da banda U2. A Rádio Centro América FM bolou a promoção: "Mostre que assim como o U2 tudo melhora com o tempo" e convidou as pessoas a enviarem uma foto antiga e uma nova mostrando como melhoramos com o passar dos anos. Foram selecionadas apenas 10 fotos e a da Luciana está entre elas.

Detalhe: votando na foto dela você concorre a um box completo do U2. A promoção vai até quinta, por isso, faça como Forrest: Run! http://bit.ly/ePYj7y

quinta-feira, 17 de março de 2011

Omo usa guardanapos em ação estupidamente criativa

Links para esta postagem
(Duvido se a ideia não surgiu numa mesa de bar) - Muito bom essa ação da Unilever para o sabão em pó Omo. Porta-guardanapos (tá certo isso?) foram disfarçados de máquinas de lavar e... eureka! A promessa do branco mais branco surge feito mágica. Não sei se é relevante dizer isso, mas a ideia foi vista pelos lados da Alemanha.

http://3.bp.blogspot.com/-vIof5-xIaUM/TYJn_Q2FhXI/AAAAAAAADgg/Djyd3Vle68A/s1600/omo-marketing-directo.jpg
:: Vi no blog Varal, claro!

O clima será nosso maior opressor

Links para esta postagem
(Mania de sigla) - Outro bom anúncio do CPR - Congresso Português de Refugiados - que dá as caras no LNP - Louco, Não. Publicitário. A propósito, por que as pessoas colocam siglas em tudo? Pior é quando a sigla vem com o significado entre parênteses. Você já deve ter escutado: "Hoje, a OMS (Organização Mundial de Saúde) afirmou..." Então eu pergunto: pra que abreviar se depois vai falar o significado das letras??? Hein?!?!

Mas, voltando ao anúncio, a criação é da agência portuguesa com certeza DraftFCB - outra sigla - para o ACNUR - que só Deus sabe o que significa. Menos silgas no mundo, é o que eu peço. E sim, estou de mal-humorado hoje. Já até mandei um sujeito pra PQP hoje cedo no trânsito, o FDP deve ter comprado a CNH.

http://2.bp.blogspot.com/--kbBPIJtfyU/TYJiIqFrcMI/AAAAAAAADgY/I3TdUqNG7u0/s1600/Tempo.JPG
Fonte: CCSP (Mais uma sigla)

segunda-feira, 14 de março de 2011

Help Japan

Links para esta postagem
Um anúncio simples, prático e facilmente entendido por qualquer habitante desse mundão véio de Deus. Help Japan, é o que todos pedem nesse momento. A ideia é do estúdio de design Signalnoise.

http://3.bp.blogspot.com/-1gdUCEMIY_A/TX6H8R3NfEI/AAAAAAAADfg/qy7r7Vqk1Ro/s1600/help-japan_.jpg

sexta-feira, 11 de março de 2011

10 livros por 29,90

Links para esta postagem
(Estou embasbacado) - Dá pra acreditar nesse preço que pedem pela coleção inteira da Você/SA? São 10 grandes livros por incompreensíveis 39 reais e 90 centavos 29 reais e 90 centavos. Fazendo uma conta não muito complexa, significa que cada livro sai por menos de 3 mangos - e ainda parcelam. O que está acontecendo com o mundo? Alguém pode me dizer? Se você não comprar, este blog não é pra você, pois você é louco, sim.



Coleção Você S/A (10 livros)


De: R$ 149,90

Por: R$ 39,90
Por: R$ 29,90
ou 2X de R$ 14,95 no Cartão Submarino

:: Clique aqui, ou na imagem, para comprar (Se continuar nesse ritmo, logo pagarão para você comprar).

Propaganda previu terremoto no Japão

Links para esta postagem
(Curioso isso) - Concordam que o comercial abaixo faz muito mais sentido agora? Torcedores do Mazembe que o digam.


:: Vi no Os Primitivos

quinta-feira, 10 de março de 2011

Kiss FM ou aeroporto

Links para esta postagem
(Rock'roll) - Gostei de verdade destes anúncios de oportunidade da rádio Kiss FM criados pela agência Lua Branca. Nada muito sofisticado, apenas um texto coerente que fala com o seu consumidor - como uma boa campanha impressa deve ser.

http://4.bp.blogspot.com/-ZpA-BlgkAwg/TXkknl3yvKI/AAAAAAAADe4/ssapglbB86c/s1600/1.JPG

http://4.bp.blogspot.com/-klR9RQdIr-I/TXkkn9uJkHI/AAAAAAAADfA/JioGOJMfTAs/s1600/2.JPG

http://4.bp.blogspot.com/-2Muz8pcpAH4/TXkkoTprgBI/AAAAAAAADfI/wduOoEFuQ80/s1600/3.JPG

quarta-feira, 9 de março de 2011

Leitura recomendada | Hiperpublicidade - Volume 1

Links para esta postagem
Em dezembro de 2010 recomendei aqui o segundo volume do excelente livro Hiperpublicidade - Atividades e Tendências, organizado por Clotilde Perez e Ivan Santo Barbosa. Pois bem, relembro essa postagem para falar agora do volume 1: Hiperpublicidade - Fundamentos e Inferfaces. E assim como sublinhei anteriormente, é mais uma obra que se destaca pela definição de conceitos de forma extremamente didática e atual. Se você pretende fazer boa propaganda, entenda que estamos falando de uma leitura obrigatória.

Neste primeiro volume, mais teórico, o papel do publicitário é colocado como de um profissional que deve buscar incessantemente o valioso conhecimento geral de mundo -já falamos disso em outras situações aqui no blog. Um publicitário precisa enxergar além da linha do horizonte para entender as necessidades humanas e usar desse argumento para lançar um produto realmente competitivo no mercado. O homem de propaganda tem que ser informado com todo tipo e toda a espécie, seja acadêmica, técnica e até amenidades e reunir uma bagagem cultural sólida, que englobe a história da arte clássica e moderna, literatura, filosofia, teatro, cinema e conhecer os principais movimentos culturais. A publicidade é hoje componente relevante da cultura do cidadão médio. Campanhas publicitárias compõem nosso imaginário coletivo, um universo rico em significados culturais.

As agências também passaram a desempenhar um novo papel. O que antes era uma simples intermediária na veiculação de anúncios, hoje se transformou nas chamadas agências full service. De fato, talvez poucas empresas tenham mudado tanto em termos de função quanto as agências de propaganda. E acredite: o formato que conhecemos hoje, será completamente diferente em um curtíssimo espaço de tempo. Também constatei no livro o que sempre converso com um amigo da área: a propaganda está entrando em uma era em que a criatividade já não é mais a chave para o sucesso, quem manda é a estratégia. É a tal Era do Posicionamento.

Também vale a pena a abordagem que o livro dá ao marketing político, que situa o leitor dentro de um amplo cenário em que ele se posiciona. Hoje, o marketing político não pode mais ser visto como uma técnica neutra, capaz de servir para a divulgação de diferentes conteúdos (de direita e de esquerda). O marketing político é um elemento fundamental da ideologia da classe dominante; faz parte do exercício da hegemonia pela burguesia. Ele corresponde a uma visão burguesa sobre a política, transformando-a em atividade marcada pela lógica publicitária, que é a lógica da própria sociedade capitalista.

Como eu disse, é uma leitura obrigatória. Mesmo que você já tenha suas teorias e opiniões muito bem formatadas, considere sempre uma outra hipótese. A sociedade contemporânea, além de complexa, está extremamente dinâmica. Os valores mudam constantemente, exigindo das empresas cada vez mais análises de cenários e tendências do ambiente externo para enfrentar essas mudanças. O indivíduo é maleável e está disponível para atuar em vários estilos de vida dentro de um só dia. Seus valores, baseados no mercado, mudam como muda a moda. O lugar ocupado pela publicidade é consequência do desenvolvimento do capitalismo. Como diria Paul Arden: tudo o que você pensa, pense ao contrário. Ou então, fique com a célebre frase de Philip Kotler: a estratégia vitoriosa do ano anterior pode ser hoje o caminho mais certo para o fracasso.
::
HIPERPUBLICIDADE - Volume 1 - Fundamentos e Interfaces
Organizadores:
Clotilde Perez e Ivan Santo Barbosa
Categoria:
Marketing e Comunicação
Editora: Cengage Learning
Blog da editora
448 Páginas

http://2.bp.blogspot.com/-Al0NE8ctc3E/TXfj0i0OfRI/AAAAAAAADdQ/20dxMSQP3-U/s1600/Nota%2B5.png
:: Clique aqui para comprar

sexta-feira, 4 de março de 2011

Viu só como o jeito de fazer propaganda está mudando?

Links para esta postagem
(É assim que se fala!) - O videomaker-ator-vlogueiro-popstar-polêmico Felipe Neto já é um case de sucesso para ser estudado futuramente nas faculdades de comunicação. Não é exagero, apenas um fato constatado depois de uma peculiar forma de alcançar a fama, afinal, estamos falando de quase 100 milhões de visualizações em sua curta e meteórica trajetória no show business. Dessa forma, é totalmente desnecessário eu ficar falando do que ele já conquistou com seus vídeos de rebeldia sem causa. Prefiro pular essa introdução para dizer que, apesar dele ainda ser um garoto de classe média, bem instruído, com boa edução e diferente da esmagadora maioria, Felipe Neto não começou esse movimento sabendo exatamente aonde estava pisando.

Assim como quase tudo na Internet, é muito difícil se destacar com poucos recursos. Você precisa, ainda que amparado pela sorte, acertar a mão e criar um produto que venda num mercado escroto e recheado de variáveis incontroláveis. E isso, sem dúvidas, é de uma complexidade assombrosa. O meu amigo e publicitário Fred Fagundes já escreveu sobre o personagem Felipe Neto em seu excelente blog Quem Matou a Tangerina? - recomento que leia antes de continuar com este post.

Pois bem, se você acompanha as publicações youtubianas de Felipe Neto, provavelmente você concorde com muitos raciocínios que ele já falou em seu canal, talvez discorde em outras situações e talvez nem tenha pensado no assunto quando assim julgou necessário. Mas por que então os vídeos desse garoto fazem tanto sucesso? Por que o Jô Soares achou que deveria entrevistá-lo? Por que ele já tem programa na televisão fechada? Uma grife? E 1 milhão de seguidores? Por que? Por que? Por que? Simples. Ele fala a língua do seu público como poucos. E isso é exatamente o que uma boa estratégia de comunicação deve fazer: falar a língua do consumidor. Simples assim.

Dito isso, veja a forma como a escola de inglês Wise Up aproveitou-se desse enorme sucesso entre os jovens para divulgar o seu Wise Up Teens - um curso de inglês voltado para os adolescentes. Assista ao vídeo abaixo atentando-se ao que é dito a partir do minuto 7:45. Obviamente, o tema do vídeo foi elaborado com fins comerciais, já que o mesmo assunto já foi tratado pelo Felipe em um vídeo anterior (veja aqui). Ou seja, é uma propaganda. De um jeito diferente. Mas não deixa de ser uma propaganda com todas as suas finalidades. E palmas para a Wise Up, que entendeu a ideia da coisa toda.



Já nos dois vídeos abaixo, esses sim, com jeitão de propaganda, formato padrão, etc e tal, os personagens, Felipe Neto e Fiuk, foram escolhidos com extrema felicidade. A maioria do público-alvo da Wise Up tem conhecimento do embate entre os dois via Twitter meses atrás. A briga começou depois desse vídeo, onde FN critica a maneira como Fiuk e as bandas do gênero tratam seus fãs. As pessoas que fazem propaganda devem se atentar a tudo, até mesmo às futilidades que todo mundo critica. Futilidades, na maioria das vezes, vende.



quarta-feira, 2 de março de 2011

Qual é a sua tipografia?

Links para esta postagem
(Conhece-te a ti mesmo, Neo) - Muito curioso este teste que te fala qual é a tipografia que mais se adapta à sua personalidade. Você fica numa espécia de divã, vai respondendo algumas perguntinhas e confere o resultado no final. Clique na imagem abaixo, ou aqui, e descubra se você está mais para a Garamond ou a Swis.

http://2.bp.blogspot.com/-shaJGkZNWAA/TW6KFoZ7C-I/AAAAAAAADcw/7TXPKRMpQSc/s1600/Alfabeto.jpg
:: Dica do Ismael, que quando criança sonhava ser astronauta, mas acabou se contentando como designer.

terça-feira, 1 de março de 2011

O blog, o leitor e a propaganda no meio

Links para esta postagem
Eu acesso muitos blogs diariamente, para trabalhar ou por pura diversão mesmo (é que eu me divirto muito trabalhando). E o que mais gosto de ver, além do conteúdo, óbvio, é como as pessoas se sentem “donas” de cada post publicado. É claro que a intenção, lá atrás da era “2.0”, era justamente essa: a inclusão social das pessoas, para que essas mesmas pessoas tivessem poder e pudessem, finalmente, dialogar com quem entregasse ou vendesse qualquer tipo de informação ou produto. Porém, todo esse “poder”, junto à extensa quantidade de informação, tornou-nos, leitores, um tanto exigentes demais, ou seja, chatos.

Adoro ler os comentários de todos os blogs que acesso só para ver a relevância deles, ou apenas a coerência. E na grande maioria das vezes, o sentimento de posse acaba indo mais longe do que o normal. Digo isso porque, além de acessar blogs, gosto muito de publicidade. Da propaganda. Seja ela considerada tradicional ou nova. E a grande polêmica da vez, ou, pelo menos, de todas as vezes em que percebi, é como essas malditas propagandas são odiadas pela maioria dos leitores que comentam.

Nem me lembro da quantidade de discussões ou polêmicas levantadas por um post patrocinado. E o que mais me impressiona é que, independente do conteúdo, a propaganda é crucificada. Ah, tadinha da propaganda. Não, não estou defendendo aqui a proliferação desenfreada e sem nenhum critério da publicidade. Eu só estou dizendo que é justo um blogueiro vender seu espaço para quem quer que seja, da forma que ele achar melhor. Da mesma forma que é justo o leitor do blog não gostar dessa propaganda. Eu só acho estranho reclamarmos daquilo como se algumas linhas ou imagens pudessem ofender tanto assim. Será que todas as vezes em que andamos na rua e olhamos para aquelas placas com grandes imagens de carros ou refrigerantes nos ofendemos também? Ou todas as vezes que ouvimos ou assistimos a um comercial de rádio ou TV? E as camisetas, com a marca estampada no peito? Os APPs de celular? Será que andar em um supermercado, shopping ou em um boteco qualquer pode ser tão ofensivo assim? E quando alguma marca entra bem no meio daquele filme que tanto nos interessa?

Acredito muito na troca justa. E se um blogueiro quer vender um espaço do seu, e só seu, blog, é justo. Até porque não estamos pagando nada por aquele conteúdo. E, para mim, essa conversa de não acessar mais porque o fulano “está se vendendo”, ou que vai “desfavoritar” porque o blog tem muita propaganda, é o exemplo mais claro de como nos tornamos mal-acostumados. Mimados mesmo. Como se aquilo fosse capaz de anestesiar a mão e o cérebro a tal ponto de não conseguirmos apenas pular para o próximo post, ou mesmo perder um segundo vendo a famigerada propaganda. Vai que ela é bacana?

Ao contrário de alguns, eu acredito sim que a embalagem é importante. Que a capa do livro conta, e muito. Mas acredito também que o conteúdo é e sempre será o que realmente importa. Então, antes de chorarmos e espernearmos quando um blog que gostamos estiver vendendo alguma coisa, vamos tentar continuar no que interessa, ou apenas “pegar nosso dinheiro de volta na saída”.

Adelino Neto não é blogueiro, mas é publicitário. Só podia.

Nova Kombi

Links para esta postagem
(Gostei do farol) - Entafunhado no blog do excelente jornalista Flavio Gomes, descobri esse protótipo do que pode ser a nova Kombi. Acho. Não entendi direito. A questão é que esta imagem ai de baixo mostra uma releitura de um dos grandes clássicos do universo automotor. Segundo a firma alemã - também conhecida como Volkswagen - a Kombi reformada passará a atender pelo chistoso nome de Bulli. Sim, e isso também não tem nada que ver com a proposta da casa, mas como eu costumo inventar uns posts perdidos de vez em quando, achei que ninguém se ofenderia com tal pauta. Engraçado também porque essa é a segunda vez que falo de kombis aqui no blog em menos de 1 semana - lembra da Kombosa Escarlate? Por isso, juro que não tocarei mais no assunto pelos próximos cinco anos. Ok?

http://4.bp.blogspot.com/-qzlgxqcDwBU/TW1N7wMZCOI/AAAAAAAADco/6eBzgsmEl-0/s1600/bulli.jpg

Gillette e o maior barbear do mundo

Links para esta postagem
http://comunicadores.info/wp-content/uploads/2011/02/gillette_outdoor_.jpg

(Pense grande) - Eu já disse isso algumas vezes por aqui: quando você não tiver uma grande ideia, exagere. Sempre funciona. Veja esta ação da Gillette criada pelos cérebros pensantes da DDBO - a dos Estados Unidos, Nova York, mais precisamente. Com 20 metros de altura, este já está sendo considerado por muitos como sendo o maior barbear do mundo (grande coisa!). A ação inteira durou três dias, despertando o interesse das pessoas que passeavam pelas redondezas. E só a título de informação, a face retratada no painel é do jogador de baseball Derek Jeter, que eu, sinceramente, não faço ideia quem seja. Deveriam ter metido a cara do Lula, garanto que faria muito mais sucesso.


:: Vi no Comunicadores