segunda-feira, 7 de maio de 2012

Nada se cria | 172

Os anúncios abaixo me fizeram lembrar de um longínquo post deste blog veio de guerra (reveja aqui). Na essência, diria que é a mesma coisa. No tênis não existem autodidatas, vou repetir: no tênis não existem autodidatas. Mais uma vez só para garantir (não custa nada): não existem autodidatas. Ou você faz aulas e aprende as técnicas corretas para se bater direito numa bolinha, ou nunca jogará bem - sou a prova viva disso. 

Pratico o nobre esporte pelo menos três vezes por semana - esse número já chegou a sete, quando nada mais importava -, e diferente do futebol, onde é possível jogar a vida toda e ainda assim ser ruim, no tênis a técnica prevalece. Se você joga, você evolui. Se não joga, regride. Não tem mágica. Um novato jamais vai ganhar de alguém que joga há mais tempo. Não existem cagadas, é uma lei básica do esporte, um fato inquestionável. Certa vez li que nenhum jogador entra para o circuito profissional antes de ter pelo menos 10 mil horas de treino no currículo.

Tudo isso devidamente explanado sem a mínima necessidade, reparem que belos anúncios temos aqui. Nem pense em não entendê-los. Apesar do possível plágio, diria que trata-se de uma bela ideia. Minha única objeção está no fato de que acertar um maldito pássaro não é uma exclusividade dos jogadores dotados de pouca técnica, veja o que aconteceu nesse jogo. O mais legal é a reação de um dos jogadores depois da tragédia.











































Fillol Tennis School
Agência: Euro RSCG
País: Chile
Ano: 2001


Tennis Academy Anders Gullberg
Agência: H2e Hoehne Habann Elser
País: Alemanha
Ano: 2002

0 comentários: