sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Nada se cria | 177

Que um é cópia do outro eu não tenho dúvidas, e como não quero ser leviano - até porque tem santo no meio - prefiro não afunilar minhas acusações. O site oficial do Inter diz que seu selo foi criado a partir de elementos ligados à historia e ao patrimônio colorado, com alusões ao estádio Gigante da Beira-Rio e ao ginásio Gigantinho. A conjugação de ambos os ícones forma a figura estilizada do Saci, o mascote oficial do time gaúcho. Entortando um pouco a cabeça para o lado você até exerga alguma coerência, enfim.
 
Já sobre o selo franciscano não tenho muito o que dizer, tudo se resume à uma fan page no Facebook. Nessa página, publicações que remetem à populares celebrações mundanas, festas, bebidas e garotas em trajes minguados - devem estar fazendo alguma alusão à fase porra loca do santo.
 

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Veja como a Red Bull está promovendo o GP da América




A Red Bull (RBR, para a Globo) se especializou na arte de promover corridas de Fórmula 1. Sempre inovando na forma de vender um velho produto aos não apaixonados, ela soca o carro rubrotaurino em tudo que é buraco. Uma rápida pesquisada no VocêTubo e você entende o que estou dizendo - e acredite, tem de tudo.

Pois bem, a bola da vez é o Grande Prêmio da América, que será disputado nas charmosas ruas de Nova Jersey em meados de 2013 (caso o mundo não acabe até lá). Para isso chamaram o veterano piloto escocês David Coulthard e montaram uma megaprodução, com direito a quase tudo que se pode fazer com muito dinheiro, pouca criatividade e uma bela ilha de edição. 

Não sei bem o porquê, mas isso me lembrou um pouco as antigas propagandas de cigarro - aquelas surreais da Hollywood - que colocavam cavalos puro sangue correndo na Antártica, lembram?

Precisa-se de blogueiro, e dos bons


Já falei da Mercatto aqui no Louco, não. Publicitário algumas vezes. É uma agência relativamente jovem, talentosa e que não costuma pensar como agência, nem um pouco - como se diz na roça, ela enxerga além da curva. E o que mais gosto em agências assim é que mesmo as pequenas coisas - como o recrutamento de um estagiário - são feitas com uma boa dose de criatividade. E como estão precisando de um estagiário que não pense como estagiáio, veja só o que resolveram fazer.

A agência vai premiar o acadêmico que entregar o melhor projeto de blog, vlog ou videocats com um estágio remunerado + iPad. As melhores ideias serão analisadas por nada mais, nada menos que o Guilherme Valadares (PapodeHomem); Eden Widermann; Rodrigo Fernandes (Jacaré Banguela); Maurício Cid (Não Salvo) e eu (devem ter me confundido com alguém relevante). 

Ficou interessado, né? Quer mais detalhes? Então corra para mercattando.tumblr.com ou a Fan Page da agência no Facebook. E boa sorte a todos!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Spoleto e Kibe Loco: transformando processos em views

Incrivelmente genial esse pequeno case. Vi no blog de humor Kibe Loco e como nos diz respeito, não tinha como não pingar por aqui. A história começa com um vídeo intitulado “Fast Food” que o blog produziu e publicou em 13 de agosto. O vídeo satirizava o padrão de atendimento de restaurantes como o Spoleto, onde você escolhe a massa, os ingredientes do molho e o cozinheiro prepara tudo na sua frente. Confira:



A O Spoleto ficou sabendo do vídeo e, ao invés de sair processando os autores, aproveitou a grande audiência do blog, o talento do comediante Fabio Porchat, e claro, o público que consome esse tipo de material - e resolveu patrocinar uma continuação. O resultado é um grande final feliz, com enorme potencial para se viralizar pela grande rede de computadores. Veja com seus próprios olhos:



Para a marca é um desfecho bem melhor do que um juiz carrancudo sentenciando um blog de humor a não mexer com quem tá quieto. Não acham?

Os truques que ninguém percebe quando vai ao supermercado




A faculdade de Marketing ensina, e até hoje não encontrei uma pessoa que não achasse interessante o fato da padaria estar sempre no fundo do supermercado. Putz, é verdade, nunca tinha me tocado disso! - é o que sempre dizem. E o motivo é bem simples: se você só quer comprar um pãozinho, por que não obrigá-lo percorrer mais corredores para se lembrar também do pó de café?

O layout de um supermercado vai muito além de organizar as coisas com bom senso, ou seja, não colocar a água sanitária do lado do presunto. Hoje em dia a disposição dos produtos é mais que uma ferramenta de venda, virou uma estratégia importante de comunicação. O objetivo é maximizar o impulso de compra das pessoas, ou você acha mesmo que aquelas porcarias que ficam ao lado da fila do caixa estão ali por acaso? Que atire a primeira pedra quem nunca pescou um Sonho de Valsa enquanto esperava na fila.

O som também tem um papel fundamental, reparem que o música é sempre mais lenta quando o mercado está vazio, e o oposto quando está cheio. É bastante óbvio, mas quase ninguém percebe. Quanto mais tempo o consumidor passear pelas prateleiras, maiores as chances de lembrá-lo do que está faltando em casa (ou até do que não está faltando). Em contrapartida, com o mercado cheio a música te diz: bora logo com isso meu filho! Mas isso é muito subjetivo, é claro que se você estiver com pressa não tem Johann Sebastian Bach que diminua o seu passo.

E foi pensando nisso tudo que a revista Galileu produziu este vídeo contando alguns desses "truques" presentes em qualquer supermercado. A compra casada, produtos certos na altura dos olhos das crianças, enfim, tá tudo pincelado aí.

Manual Prático de Criação Publicitária


Bem legal o que fez o publicitário Flavio Waiteman. Ele disponibilizou gratuitamente para download o seu excelente livro "Manual Pratico de Criação Publicitária" - "foi uma forma de agradecer as lições que me ensinaram", explica. 

Em seu site - www.flaviowaiteman.com.br - tem mais detalhes, inclusive alguns dos grandes trabalhos da sua premiadíssima carreira. Recomendo que deem uma conferida em todos eles.

| Se preferir, clique aqui para fazer o download do livro.

Aperte o cinto. Fique vivo.

O que dizer de uma campanha assim? É, eu sei. A criação é da agência canadense LG2 para uma seguradora de automóveis de Quebec.



terça-feira, 28 de agosto de 2012

Neil Armstrong: 1930 - 2012

Não tem como ser muito mais brilhante que isso. O anúncio criado pela Carmichael Lynch para o Denver Museum of Nature Science homenageia com maestria o norte americano Neil Armstrong - célebre por ter sido primeiro homem a pisar na Lua. E o mais legal é que não trata-se de uma montagem, essa foto realmente existe. Foi tirada pelo próprio astronauta enquanto seu companheiro de missão Buzz Lightyear Aldrin hasteava a bandeira estadunidense em solo lunar. Era um pequeno passo a humanidade, mas um gigantesco passo para os Estados Unidos da América - como diria algum soviético lamentando o começo do fim da Guerra Fria.




quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Marisa: 1 homem para cada 96 mulheres



Vocês já assistiram 'Do que as mulheres gostam', com Mel Gibson? Foi um dos bons filmes com publicitários que postei aqui em algum momento na história deste blog. Se não viram, deveriam ver - mais de uma vez, inclusive. Fica bem mais fácil entender como um comercial como este poderia perfeitamente ter saído da cabeça de um homem. É, poderia, mas não saiu. O texto é da  redatora Sophie Schoenburg, da sempre criativa AlmapBBDO.

Brandversations: qual marca você vê primeiro?

Sensacional o que fez designer gráfico Stefan Asafti. Ele pegou o logotipo de grandes concorrentes mundiais e fez essa molecagem. A propósito, fiz essa pergunta no título do post porque considero relevante ressaltar uma coisa. Tente identificar qual marca você enxerga nos primeiros microssegundos (tá certo esses dois ésses? E é assim que se escreve "s" no plural, vai acento? Maldita reforma ortográfica!), é essa mágica que ajuda a definir qual marca está melhor posicionada na sua cabeça. Simples assim.

:: Clique nas imagens para ampliar, se achar que deve.


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Vivo fail: você pode ignorar este anúncio em 5... 4... 3....


Não sei por onde começar, por isso vai de qualquer jeito. Já devo ter falado aqui o que penso dos anúncios que o Youtube enfiam goela a baixo dos nossos amigos internautas. Você se interessa pelo vídeo e dá o play feliz da vida, mas antes deve ser penalizado, terá de esperar alguns longos segundos. É como dissessem: calma lá, caubói. Antes de ver o que quer você tem que ignorar este anúncio em 5... 4... 3...

Fico pensando na reunião onde este tipo de estupidez é decidido. A pauta deve ser: senhores, devemos monetizar a coisa toda, alguma sugestão?
Então algum infeliz levanta a mão e diz: - E se colocarmos uma propaganda no lugar do vídeo?
Alguém retruca na sequência: - Mas isso seria uma grande estupidez! 
O infeliz concorda: - É verdade, foi mal. 
Então quem retrucou continua: - Mas, vamos amadurecer a ideia do nosso colega. Sugestões? 
Um terceiro elemento sugere: - Podemos dar a opção do amigo internauta ignorar o reclame depois de 5 segundinhos. 
E quem está na cabeceira da mesa sentencia: Genial! Que assim seja, fim da reunião, mãos à obra! 
E viveram todos infelizes para sempre.

Fora os publicitários, quem mais deixa de ver o viral do momento para assistir uma maldita propaganda do Internet Explorer? É deslocado, sem propósito, incomoda, enfim, irrita. Mas você pode alegar que a propaganda é altamente direcionada, fala com o público específico através do motores ultra inteligentes do Google, a Skynet da vida real. Mas, será mesmo? Não é dos critérios mais confiáveis, esses que o Google adota.

Mas, pelo amor de Darwin, não estou falando mal do Google, sei eles estão lendo isso. Também estou prestes a receber um cheque do Google Adsense - se é que eles não vão inventar algum motivo para não me pagar. Mas como este é um blog de publicidade, mais tombado para a esquerda e meio ranzinza, detestaria ser advertido por expressar o que penso. Por isso não poderia deixar de destacar o incômodo que esses anúncios causam em usuários "não publicitários".

E já que toquei no ponto, fiquei pensando aqui com meus botões depois de assistir ao vídeo abaixo. É do 'Canal do Otário' (muito bom, por sinal), ele faz duras críticas às operadores de telefonia móvel que operam no Brasil. Fala que as propagandas mentem descaradamente e ninguém faz muita coisa a respeito, apenas aceitam tudo com aquela benevolência tão inerente ao povo brasileiro.

Mas o que me chamou a atenção de verdade foi um dos anunciantes do vídeo ser exatamente uma empresa de telefonia, no caso, a Vivo. Assistam e entendam (como os anúncios são rotativos, vai dando um F5 até encontrar o comercial da Vivo que precede o vídeo). Isso vai muito além dos anúncios do governo petista entre as páginas amarelas da Veja.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Nada se cria | 176

A dica de hoje é do sempre atento Clairo Pereira. E que bela dica, diga-se de passagem. Mais um clone publicitário que vai para a nossa rica galeria. Se você também quer participar e ter seu nome eternizado aqui no blog, envie uma carta para a nossa caixa postal. O endereço é louconaopublicitario(arroba)gmail.com. E viva Las Vegas!

Small World
Agência: Wirz/BBDO
País: Suíça
Ano: 2009

New York School
Agência: Blanco Lima (Cascavel, PR)
País: Brasil
Ano: 2012

Crianças precisam de mais nutrientes

Simples e objetiva a campanha impressa criada pela El taier /Tribu DDB da Guatemala para a marca de o leite Parma. O mundo ficou mais complicado, por isso as crianças de hoje precisam de mais nutrientes, é o que lembram. E como digo sempre que tenho a oportunidade, gosto de uma boa propaganda impressa, o que faz de mim um saudosista. Hoje em dia é tudo on-line, ninguém faz mais nada sem um maldito aplicativo à tira colo. O mundo, além de complicado, também está cheio de frescuras.

Dia desses fui abastecer o carro e tinha um cara discutindo com o frentista, o almofadinha alegava que era um horror aquele posto não ter cobertura Wi-Fi. Santo Deus!, e pensar que já fomos caçadores, tínhamos piolhos e comíamos carniça - pensei. Fico imaginando se tivessem inventado esse monte de porcaria no tempo dos primatas, sairíamos para caçar usando o Google Maps e faríamos check-in a cada 200 metros - igual mocinhas amedrontadas. A vantagem é que hoje não teríamos o problema da homofobia.

Caramba, como eu fugi do assunto.

 

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Guinness: pinte a cidade de preto?



No dia 27 de setembro será celebrado o Arthur’s Day, que nada mais é do uma comemoração anual para homenagear Arthur Guinness, o admirado fundador da cerveja irlandesa. Para quem não conhece a pequena tradição, a tal homenagem começou em 2009 e consiste no peculiar hábito das pessoas pintarem de preto tudo o que encontrarem pela frente - inclusive elas mesmas. No fundo, é uma versão meio "dark" do Saint Patrick's Day (não tente entender, esses irlandeses são todos meio malucos).

Bem, para isso foi criada pela agência londrina Saatchi & Saatchi uma campanha global que será apresentada nos 55 países onde a marca está presente - inclusive o Brasil. E como se pode ver, o comercial mostra lá uma pequena aldeia irlandesa se preparando para as festividades, tinta preta pra todo lado, etc e tal. Tudo seria lindo se não tivessem esquecido só de um pequeno detalhe. Melhor assistir ao vídeo e eu explico lá embaixo.



Quem não entende o espírito da coisa pode perfeitamente se incomodar com o efeito repulsivo que a gosma preta causa. Quer um exemplo? Troque a assinatura do vídeo por um logotipo do Greenpeace e uma frase alertando sobre o derramamento de petróleo nos oceanos: "É assim que os animais se sentem quando jogamos óleo na casa deles". Muda tudo, né? Não sei se deve-se condenar o filme por isso, mas devem pelo sempre considerar o fato de que vivemos em um muito atendo à esses pequenos detalhes.



sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O que acontece enquanto isso

E quando ninguém aguenta mais ouvir que uma bateria leva até 1.000 anos para se desintegrar, os caras da TBWA da Nicarágua aparecem com essa ideia simples e genial.

| Clique nas imagens para ampliar.



quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Fusão entre Apple e Samsung?

E enquanto Samsung e Apple se matam nos tribunais para saber quem inventou o quê primeiro, eu bolei essa pequena brincadeira com os logos. Se resolverem fazer uma megafusão, a nova marca já está pronta - não se esqueçam dos meus honorários!

O Fórmula 1 do Batman

(Santa tartaruga, Batman! ) - Vejam o que fez um tal de Knightvision3D. Ele pegou o Batmóvel e um carro de Fórmula 1 e bateu tudo no liquidificador. O resultado é isso aí, que já foi até batizado de Batmóvel F1 (muito criativo, por sinal). E pelo visto, o projeto não é dos mais aerodinâmicos já feito, Adrian Newey certamente não gostou de nada, mas quem se importa? Que façam um circuito de rua em Gotham City e veremos o que acontece.




quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Filme chocante sobre doação de órgãos


Ser ou não ser um doador de órgãos, eis a questão. Este não é dos assuntos mais simples, quase impossível manter-se imparcial, arriscaria dizer. Dia desses estava conversando com um amigo que não é doador, quis saber o motivo e ele foi direto: tenho medo de me roubarem os pulmões. E, de fato, existe um mercado sombrio por trás das filas de transplantes. Há quem afirme que médicos pilantras deixam de salvar seus pacientes para receber comissões pelos órgãos "doados". E como não tem como garantir que um dia você não será operado por um desses pilantras, o argumento não deixa de ser válido.

Também tem o receio quase infantil das pessoas acharem que chegarão em outra vida lhe faltando as córneas. Imaginem a cena. São Pedro lá na porta do paraíso, você na fila e ele fala: - Cadê teu olho? Não vai entrar! (Lembrei dessa entrevista aos 11min25seg. e achei engraçado.) Mas ainda que pareça piada, tem gente que acredita nisso. Mais um argumento para não doar, alegam. 

Eu me considero um poço artesiano de ceticismo, por isso não consigo ver muita diferença entre os seres humanos e um pé de jaca. Pra mim, é tudo da mesma origem orgânica, nascem, crescem e morrem - a diferença é que uns têm consciência, outros não (e não estou me referindo à Mulher Jaca). Deixo ideias de vida post mortem para quem tem imaginação fértil. Sendo assim, sou um doador convicto, quando bater as bolas, podem me tirar tudo o que ainda estiver prestando.

Tudo isso devidamente revelado, quero dizer que gosto de prestar atenção em filmes publicitários que colocam o assunto em pauta. Reparo muito nos apelos utilizados, e como tentam derrubar os argumentos que as pessoas insistem em manter (esses aí de cima). Na minha visão que não serve para muita coisa, há poucas coisas nesse mundo que sejam tão nobres como doar um pedaço de si. Fico pensando na alegria da família, no alívio de quem recebe uma nova vida. Como podem não doar?

Sei da história de uma pessoa muito doente que aguardava na fila de transplantes. Em sua última semana de vida deu entrava no hospital que ela estava um homem vítima de acidente de trânsito. Ele morreu horas depois, e em seu documento de identidade constava que ele não queria doar seus órgãos. A pessoa que esperava morreu dias depois. Então eu lembrei desse filme. No fime ele termina com a frase: "se você não é um doador, quando morrer vai levar alguém junto com você". A criação é da agência Lowe Bull (África do Sul) para a Organ Donor Foundation.

Nada se cria | 175

Estava com saudades do Nada se cria? Pois é, eu também não. Mas o de hoje é legal, ganhou até um leão de ouro em Cannes na categoria anúncios para mobile. Me refiro ao anúncio do Bradesco Seguros, que tem um irmão gêmeo na Colômbia, e curiosamente, também recebeu seus prêmios por lá. Difícil acreditar que estamos diante de uma mera coincidência, não acham? Vejam e concluam.


Auto Plus Delima Marsh Car Insurance
Agência: Ogilvy & Mather
País: Colômbia
Ano: 2009


Bradesco Seguros
Agência: Almap BBDO São Paulo
País: Brasil
Ano: 2012

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Comercial surreal da Lamborghini Aventador



Mais um daqueles comerciais para serem vistos em 1080p, full screen e o que mais tiver a disposição. Mas, antes disso, falemos um pouco mais sobre o mito Lamborghini. Esse modelo especificamente, o Aventador, é uma curiosa homenagem a um lendário touro considerado o animal mais nervoso que já batalhou na Plaza de Toros de Zaragoza. Até onde meus conhecimentos automobilísticos vão (mentira, copiei tudo do Wikipédia), a suspensão foi inspirada nos carros da Fórmula 1 e o chassi totalmente feito em fibra de carbono. É um senhor carro, devo salientar.

Sei disso porque ouvi dizer que ele vai de 0 a 100 km/h em inimagináveis 2,9 segundos. E tem mais, pisando com toda força no pedal do acelerador pode-se chegar perto dos 350 km/h. Tudo isso é possível porque estamos falando de um motor 6.5 V12 que gera impressionantes 700 cavalos de potência. Isso é cavalo pra burro! (Nossa, como eu sou engraçado!) Ainda segundo a Wikipédia, tudo isso faz com que este seja o modelo mais rápido e potente já produzido pela marca italiana. E é por isso que eu sempre digo: carros assim nunca devem ficar na mão de idiotas. O Youtube está recheado de vídeos de idiotas endinheirados que vivem se matando em super esportivos voadores como esse. Mas, falemos disso outra hora e voltemos ao cerne do post, o comercial.

Como ia dizendo, recomendo que assista com todos os recursos disponíveis para aproveitar ao máximo todo o conceito que tentam transmitir nesses três minutos de vídeo. É um belo exemplo, já que não tem um locutor falando dos atributos materiais e toda essa baboseira que eu escrevi aí em cima. É só o motor gritando, a natureza tentando pará-lo e a câmera correndo atrás do touro. Um comercial de arrepiar, até para quem não liga muito para esses super carrões.

Os cliclês do cinema

Bastante legal os impressos que o pessoal da agência Wing criou para o New York International Latino Film Festival - que será apresentado pelo canal HBO. A ideia fala basicamente do uso dos clichês, ou melhor, das fórmulas que a indústria cinematográfica tanto adora. Tem quem não goste dessa estrutura testada e comprovada, com começos, meios e fins seguindo sempre um mesmo padrão. Como não entendo picas de roteiros para cinema, prefiro não dizer nada. Não sei se sou contra ou a favor de seguir uma receita de bolo, acho que sou a favor. Mas não tenho certeza, prefiro ficar em cima do muro.













segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Isso sim é um anúncio para o 'Dia dos pais' de verdade


Vi em alguns blogs por aí e não me aguentei. Vejam que coisa mais linda este anúncio da Volkswagen para o Dia dos Pais veiculado nos Estados Unidos. Como devem saber, lá a data é celebrada em meados de Junho. No texto, nada além de um "Pai, me conte sobre os anos 70 de novo?". Logo abaixo ainda temos: "Não importa o quão velho você fique, você tem muito a aprender com ele. Feliz Dia dos Pais".

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O preço de alguns logotipos famosos

Abaixo uma relaçãozinha sem muita utilidade, só a título de curiosidade mesmo. Você sabe quanto custou algum dos logos mais conhecidos do mundo? Se não, surpreenda-se com alguns números, para mais e para menos.

O logo da empresa foi
desenhado em 1998 por
um dos fundadores da
companhia. Depois disso,
sofreu pequenas alterações,
mas o conceito original se
manteve intacto. O logo
também ganha versões em
datas especiais, que são
chamadas de doodles

O novo logo da Pepsi foi
desenhado em 2008 pelo
Grupo  Arnell, uma
conhecida empresa de
design e criação de marcas.
O preço citado acima inclui
um pacote completo de
renovação da marca,
embora ninguém tenha
reparado muito nisso. 


O logo da rede social
dos 140 caracteres foi
criado em 2009 por
Simon Oxley.
E, convenhamos,
o rapaz cobrou uma
pechincha por um
dos ícones mais
conhecidos no mundo
2.0, não acham?

 
O logo da Nike, um
dos mais fáceis de ser
reconhecido, é obra de
Carolyn Davidson em
1975. O preço incluiu
apenas o design do logo,
que mais tarde foi sendo
refinado. Mas, assim como
o logotipo da Coca-Cola,
ele manteve o conceito
original intacto.
O famoso logo foi criado por
Frank Mason Robinson, em
1885. Na época, Mason era
escriturário de John Pemberton,
o criador da bebida, e teve
a ideia de fazer o logo com a
letra cursiva. A fonte usada,
conhecida como Spencerian
Script, foi desenvolvida no
meio do século 19 e era a
forma dominante da escrita
à mão nos EUA na época.

Desenhado pela agência
londrina de design de
marcas Wolff Ollins,
em 2007, o logo dos
Jogos Olímpicos de
Londres causou
polêmica. Teve gente
que viu a suástica,
pessoas em ato
sexual e até a
palavra “ZOR”.
E você, gostou?