sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Para aqueles alunos que só pensam em futebol

É disso que estou eu falando quando me refiro a uma campanha impressa de verdade. A criação é da agência Babel para promover a Copa Diário de S. Paulo Seme de Futsal.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Nada se cria | 179

Links para esta postagem
Não sou muito de acompanhar novela, na verdade, não sou nem um pouco de acompanhar novela, nada, zero. Não quero ser esnobe, só não consigo me interessar pela trama, muito menos pelos personagens - quase sempre representantes das camadas sociais que encontramos facilmente em qualquer pesquisa sobre a nossa grande república federativa. Uma vez me perguntaram quem eu achava que tinha matado a Thais. Juro, não chegava nem perto de suspeitar quem diabos era a assassinada em questão. Perguntei se era alguém conhecido, e me falaram que era a "Thais da novela". Depois ainda me questionaram em que mundo eu vivia, pois só se falava da morte da Thais.

Em outra situação eu estava viajando a trabalho e fui convidado para um churrasco na casa de uns amigos que viviam naquela cidade, cheguei no horário combinado e precisei esperar a novela acabar para começarmos o pagode - acho que era o último capítulo ou coisa parecida. Ninguém respirava, já eu, totalmente deslocado, fiquei prestando atenção na decoração da sala, jogando Tetris no celular e brincando com um simpático peixinho no aquário.

Como disse, não tenho nada contra as novelas, só não gosto, não devo ser o público ou sei lá o que. A última novela que vi mais de dois capítulos foi uma do Raimundo Flamel, mas isso já faz muito tempo. Ele era uma espécie de alquimista e tinha uma maldição peculiar: tudo que ele tocava virava ouro. Então ele segurou acidentalmente no braço de sua namorada e, pimba! Ela virou uma estátua dourada. Depois disso não demorou muito e a novela acabou, não lembro bem que fim teve o azarado do Raimundo Flamel. Também assisti "Vovô e eu" e "Carrossel", no SBT, dessas, por algum motivo eu gostei bastante, acho que não tinha mais o que fazer. Também vi "Pantanal" e "A história de Ana Raio e Zé Trovão", na extinta TV Manchete, que hoje atende pelo nome de Rede TV. Enfim.

Digo tudo isso porque recebi de alguns amigos estes dois anúncios vendendo pen drive. São anúncios de oportunidade sobre a novela que está novamente parando o país, apesar de um parecer claramente cópia do outro. Vai pro Nada se cria e não fala mais nisso.

E eu também não sei quem é essa tal de Nina, só sei que ela parece precisar muito de um pen drive.

Papelaria Grafitte
Agência: Mercatto
País: Brasil
Ano: 2012

Extra Hiper
Agência: -
País: Brasil
Ano: 2012
  

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Belos anúncios impressos da Pierre Martinet

Aventura visual nota 8.75, e nada que vá muito além disso. A criação é dos cérebros franceses da TBWA para a Pierre Martinet. Vai dizer que não ficou com vontade de beber um suco de beterraba depois disso?


E se o iPhone 5 fosse 10x maior?

Sensacional essa anti-propaganda do iPhone 5 postado no canal Satire. Ao melhor estilo do "revolucionário" Book, a sátira é baseada na reclamação dos consumidores sobre a falta grandes novidades na nova versão do aparelho. Se bem que, uma tela maior permitia um mundo totalmente novo de possibilidades, não acham?

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Nextel apela para a emoção


Eu tenho gostado muito do novo posicionamento que a Nextel adotou recentemente, mexer com a emoção das pessoas é sempre bom para os negócios. E quando essa emoção vem temperada com superação, melhor ainda. Não é uma fórmula nova, muito pelo contrário, deve ter sido inventada na Grécia Antiga pelos helenos, mas como tem sido executada com extrema competência e massificada nos canais fechados, estão colhendo os devidos frutos.

O vídeo abaixo criado pela Loducca e produzido pela O2 Filmes é de uma perfeição absurda - não tinha como ser diferente. Ricardinho é o cara certo para a missão, brigou com uma unanimidade nacional, se debandou de um dos times mais vencedores da história do esporte, foi ao inferno, assumiu que errou e voltou para ser medalhista olímpico. Na verdade nunca entendi bem o que diabo aconteceu com ele, acho que ele também não fez muita questão de explicar direito. Sei que depois de ver 50 dúzias de vezes esse comercial nos intervalos do tênis, deduzi que ele tenha mesmo dado a volta por cima - graças a Fabiane, Júlia e Bianca.



Em tempo: Esse negócio de projeção mapeada é mesmo muito legal.
 

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Para alguns, é o Monte Everest

A ideia não é das mais novas, foi vista no longínquo ano de 2007 em uma ação de guerrilha para a Associação de Deficientes americano, mas ainda vale a nota aqui no blog. Nem tem muito o que explicar, é apenas uma maneira criativa que encontraram para chamar a atenção daqueles que não precisam escalar um Monte Everest todos os dias.

Mais polêmico do que criativo | 49




Fazia algum tempo que eu não postava um comercial banido por ofender alguém ou alguma coisa. Bem, este filme da Bic ofendeu, no caso, a comunidade asiática que vive na América do Norte, e por isso foi duramente criticado no Canadá. Não gosto de ficar narrando o que acontece no vídeo, assistam e vejam o que acontece.

O título Bictator é uma espécie de homenagem ao filme 'O Grande Ditador', e mostra que coisas terríveis podem acontecer quando a caneta não é uma Bic - inclusive condenar um prisioneiro porque a caneta falhou. A criação é da agência Crispin Porter + Bogusk.

Muitos consumidores se incomodaram com o filme e o próprio anunciante achou melhor suspender a veiculação. Os espectadores consideraram o anúncio extremamente racista, insensível e de mau gosto, um deles chegou a escrever o seguinte email: "Dada a propensão de penas de morte em alguns países asiáticos a ideia da Bic de brincar com este tema é ultrajante."

Vale dizer também que esta não é a primeira vez Bic do Canadá retirou um anúncio do ar depois de receber vaias dos consumidores. De qualquer forma pediram desculpas através do Twitter e substituiram o comercial por outro qualquer. Pelo visto não querem encrenca com nenhum asiático.

Não vou repetir o que sempre digo nesses casos, só acho uma bobagem descomunal tirar o comercial do ar. Será que essa gente não tem nenhum senso de humor? O comercial é divertido e faz uma metáfora bobinha, sem querer menosprezar ninguém. Alguém aí concorda?

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Ideia não é suficiente

A campanha impressa criada pela agência curitibana Sim para a MindSet Films é sensacional, não tenho dúvidas. Só não entendo por que sempre usam os mesmos filmes clássicos. Titanic e King Kong são figurinhas carimbadas, lembram dessa campanha da Tam? E isso foi só um exemplo rápido, também tem essa da Panasonic, essa da Volia e outras centenas de milhares espalhadas por aí. Que coisa, sô!



quarta-feira, 12 de setembro de 2012

O que as crianças veem quando os adultos bebem?




Absurdamente impactante o novo filme da Fragile Childhood criado pela Euro RSCG, da Finlândia. Confesso que até tomei um susto com o coelho-zumbi - coisa mais macabra! Depois fiquei pensando melhor na mensagem por trás do vídeo, será que basta apenas falar que as pessoas são vistas como assustadoras quando bebem? Seria esse o melhor incentivo para que elas abandonem o vício?

Como disse, o vídeo é impactante, mas impossível não questionar se ela gera a reflexão em quem realmente importa. Estão igualando o mero consumo de álcool com o abuso de crianças, o que não é necessariamente verdade. Quem bebe pode não achar um argumento válido, e aí a coisa toda perde um pouco do sentido. Também não tenho a menor ideia de como é a vida na Finlândia, só sei que as pessoas costumam se matar por lá - culpa do frio, não do álcool. Certa vez vi um estudo comprovando que o índice de suicídios é maior em países com temperaturas mais baixas.

Divagações à parte, o mais óbvio mesmo é que tentaram apenas reproduzir a visão de uma criança que olha para os pais bêbados. Um bom recado, no fim das contas. Uma rápida pesquisava no gúgou e você encontra muito mais vídeos dessa ONG. Recomendo!

terça-feira, 11 de setembro de 2012

O Brasil nas redes sociais


Mais um infográfico atualizado sobre a presença do Brasil nas principais redes sociais. Quem juntou os dados da Comscore e mastigou tudo foi o designer Alex Affonso, que é facilmente visto no twitter @alex_affonso.



Bisbilhotei no sempre excelente blog Vitamina Publicitária.
 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Nada se cria | 178

Inicio os trabalhos da semana com mais um Nada se cria. Isso é para quem duvidava que eu não era capaz de publicar um anúncio da Bulgária e outro da Argélia no mesmo post.


Hyundai Heavyweight Div
Agência: JWT
País: Argélia
Ano: 2008


JCB – Super natural power
Agência: Publicis Marc
País: Bulgária
Ano: 2009
 

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

As 10 entrevistas mais engraçadas do Programa do Jô

Links para esta postagem
Um lista bastante subjetiva (não tinha como ser diferente) das melhores entrevistas de humor do Programa do Jô. Ô blogueiro, mas o que isso tem a ver com o blog? Nada, absolutamente nada! Apenas pesquei as 10 entrevistas que mais fizeram a minha barriga doer de tanto rir. Um bom critério, não acham?

1º | Claudinho, o político gago:

- Não é qualquer um que vai perguntar meu nome e eu não vou saber falar.

2º | Fabio Porchat:

- Tem o zumbi bundão, que você da tapa na cara, esse eu acho mais idiota.

3º | Eduardo Sterblitch:

- Na infância eu pensava que era veado.

4º | Fábio Rabin:

- Eu vi a minha irmã numa cena com uma bandeija de salgadinho com os peitos de fora.

5º | Marcelo Adnet:

- É uma bobagem sem fim, mas a gente gosta.

6º | Paulo Gustavo:

- Porque gordo no avião é foda!

7º | Dani Calabresa:

- Tem uns amigos boboquinhas que falam: "Ela é calabresa porque é que nem pizza, é redonda e dá pra oito."

8º | Fabio Porchat (de novo):

- Trago a pessoa amada em... "olha pro lado, olha quem taí".

9º | Beto Hora:

- Então meu pai me disse: "Fazer o que você faz eu até aceito, mas achar quem pague eu acho incrível."

10º | Sérgio Mallandro:

- Iêié... Rá! Iêié...
  

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Guerrilha extremamente criativa na China

Falei aqui ontem sobre o filme da Fundação SOS Mata Atlântica sobre emissão de CO2 na atmosfera. Aproveitando o embalo, vejam que belíssima ação de guerrilha a agência DDB produziu recentemente para a ‘China Environmental Protection Foundation’.

Não tem muito o que explicar, o vídeo case mostra bem a produção da ideia relativamente simples, mas que causou enorme repercussão em todo o país. Eles imprimiram uma árvore sem folhas em uma tela branca e colocaram sobre algumas faixas de pedestres de Xangai. Em cada um dos lados foi colocado uma esponja com tinta verde, e conforme as pessoas atravessavam a rua a mágica acontecia.

A mensagem “Caminhe mais e dirija menos” ia ficando cada vez mais clara. Isso porque segundo informações oficiais a China possui mais de 500 milhões de automóveis em circulação, ou seja, meio bilhão de escapamentos liberando seus terríveis gases poluentes. E antes que algum chato venha me aporrinhar as ideias, já adianto que a tinta utilizada era facilmente lavada. O mais legal é que depois que a campanha terminou o painel ficou em exposição em um museu de Shanghai.



| Vi no blog Comunicadores 
 

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Vá de galinha!





Neste fim de semana foi divulgado o tão aguardado 37º Anuário do Festival do Clube de Criação de São Paulo, e não é que o já esquecido filme "Vá de galinha" foi um dos destaques? Para quem estava em Marte envolvido na missão da NASA com o Curiosity, me refiro a um comercial bem legal criado pela F/Nazca para a Fundação SOS Mata Atlântica.

O filme faz um comparativo com a velocidade média de um carro durante um congestionamento e uma galinha. Isso mesmo, vai dizer que você não sabia que ambos locomovem-se praticamente à mesma velocidade? Isso sugere que as pessoas utilizem-se de outros meios para ir ao trabalho, faculdade, supermercado, correio, padaria, feira livre, academia, motel (não! Motel, não), casa de câmbio, dentista, nutricionista, anestesista... (ok, acho que já deu pra entender).

A campanha foi lançada no Dia Mundial sem Carro de 2010 e lembrou que o trânsito é um dos grandes vilões do meio ambiente. Li em algum lugar que só os veículos paulistanos vomitam anualmente 43 milhões de toneladas de CO2. Ou seja, se é para andar a 15 km/h, que vá de galinha! Pelo menos não polui o ar.

O mascote da Copa de 2014

comunicadores mascote copa 2014 tatu bola ilustracao design brasil  tatu bola mascote copa 2014
Neste fim de semana a Revista Veja revelou o mascote da Copa do Brasil (não a nossa Copa do Brasil, a Copa que vai ser no Brasil. Digo... éééé.. vocês entenderam.) Pois então, se tem três coisas que eu nunca entendi direito são: 1) o que faz uma organela citoplasmática; 2) o que faz a Paris Hilton; e 3) para que serve mesmo um mascote de Copa do Mundo? Suspeito que seja apenas para adornar o álbum de figurinhas da Panini - me refiro ao mascote. Acho que devo reler este livro aqui.

Segundo a publicação semanal com o verbo no presente do conjuntivo, o mascote ainda não foi batizado, um pagão, afirmariam os mais religiosos. Por enquanto estão o chamando pelo nome da espécie, no caso, Tatu-Bola, ou, Tolypeuctes tricinctus, se você quiser parecer entendido sobre nomes científicos de tatus.  Se eu fosse da organização da Copa que cuida dos batismos, arrumaria logo um  nome para o pobre animal, sabe como são os brasileiros, arrumam apelido pra tudo.

Dito isso, segue abaixo uma lista sem muita importância dos últimos mascotes vistos em Copas do Mundo, são eles, respectivamente: Willie (Inglaterra 1966), Juanito (México 1970), Tip e Tap (Alemanha 1974), Gauchito (Argentina 1978), Naranjito (Espanha 1982) e Pique (México 1986); Ciao (Itália 1990), Striker (EUA 1994), Footix (França 1998), Ato, Kaz e Nik (Coreia do Sul e Japão 2002), Goleo (Alemanha 2006) e Zakumi (África do Sul 2010).


E já que estamos falando de batismos para 2014, finalmente escolheram o nome da nossa Jabulani, será “Brazuca" - e não se fala mais nisso. Já podem chamar o Cid Moreira para gravar a vinheta.